Meio Ambiente: 10 ideias para você e seu filho agirem em prol do planeta

Mudanças nos hábitos da família ensinam aos pequenos a importância de preservar o planeta

por Manoela Meyer

"É muito importante incluir as crianças, especialmente porque elas costumam ter mais facilidade que os pais para fazer algo novo", diz Rafaela Aparecida da Silva, educadora ambiental 

A palavra "sustentabilidade" está na moda, mas pouca gente entende seu significado e importância. O tema envolve questões ambientais, sociais, culturais, econômicas e muito mais. Quando tratamos da defesa da natureza estamos falando de uma parte apenas da questão. Mas ela não deixa de ser relevante - principalmente quando boa parte da população vive em cidades industrializadas, distante de grandes áreas verdes e animais silvestres.

Tenha em mente que tudo no planeta é interligado. Todos nós dependemos de ambientes naturais saudáveis para sobreviver. São eles que garantem, por exemplo, água e ar de qualidade, parte dos alimentos e dos princípios ativos de muitos medicamentos, além de matérias-primas como madeira e minérios. Mas estão sendo destruídos em ritmo acelerado por conta da população humana urbana, que cresce consumindo recursos naturais de maneira predatória - impedindo a natureza de repor seus recursos e privando a atual e as futuras gerações de terem qualidade de vida.

Para ajudar a reverter esse quadro, são necessárias mudanças em nossos estilos de vida. Todos fazem a diferença quando o assunto é cuidar do planeta. Que tal começar em casa envolvendo seu filho?

"É muito importante incluir as crianças, especialmente porque elas costumam ter mais facilidade que os pais para fazer algo novo", diz Rafaela Aparecida da Silva, educadora ambiental e doutoranda em Ecologia e Biodiversidade pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Rio Claro. Ela enfatiza que também é importante a criança entender o porquê de determinado hábito e escolha, para realmente incorporar o aprendizado.

Confira abaixo algumas sugestões de como você pode educar seu filho para cuidar do meio ambiente:

1. Estimule o interesse pela natureza

É importante que seu filho tenha contato com diferentes seres vivos e paisagens naturais, para estimular a sensibilidade ambiental e a ideia de que tudo está interligado.

Este é o primeiro passo para a respeitar o meio em que se vive: desenvolver o interesse pelo assunto. Seu filho precisa ter oportunidades para brincar e explorar ambientes ao ar livre. "O contato da criança com a natureza faz com que ela desenvolva a ideia de que também pertence e está conectada a ela", enfatiza a educadora ambiental Rafaela Aparecida da Silva.

Para isso, não há necessidade de ir longe. O quintal ou jardim de casa já abriga uma grande variedade de seres vivos, como insetos, aves e plantas. Estimule seu filho a prestar atenção em pequenos detalhes, como o formato das folhas, rastros e pegadas e a vida existente embaixo de uma pedra. Vocês também podem plantar as sementes de frutas que consomem nas refeições. Caso não tenha uma área verde em casa, plante em vasos e cuide das plantinhas com a ajuda do seu filho.

Vocês também podem frequentar parques e praças da cidade. Que tal adotarem uma árvore? Há também jardins botânicos, aquários e zoológicos para vocês explorarem inúmeros assuntos de biodiversidade e meio ambiente.

Caso você esteja planejando uma viagem de fim de semana ou de férias mais prolongadas, o que acha de dar preferência a destinos ecológicos? Também opte por um turismo sustentável, que beneficia o meio ambiente e as comunidades que sua família visitar.

2. Decida o que é relevante

Não adianta querer mudar todos os hábitos da família de uma só vez. Comece aos poucos, lembrando que viver de maneira mais saudável não deve ser sinônimo de sacrifício.

É importante frisar que quando se trata de crianças, o melhor é focar em poucos assuntos e avançar sem pressa.

"Para não desestimular, dê atenção às coisas cotidianas e palpáveis em um primeiro momento, como fechar a torneira enquanto escova os dentes", sugere a educadora ambiental Rafaela Aparecida da Silva.

Com o tempo, você vai descobrir os assuntos que mais atraem a atenção do seu filho. Isso vai ajudar a aprofundar a conversa em torno de temas mais abrangentes, como a poluição do rio que passa perto da casa de vocês.

3. Reflita sobre seu modo de consumir

Quando você compra algo, pensa se realmente precisa dele, sobre como foi produzido e como vai descartar quando não quiser mais? Faça reflexões desse tipo com seu filho, para evitar o consumismo e o desperdício.

Sustentabilidade também envolve levar em conta os impactos - negativos e positivos - que qualquer ato de consumo gera no meio ambiente e na comunidade.

Há produtos no mercado, como os orgânicos e os ecologicamente corretos, que procuram promover melhores práticas de trabalho, fazendo bom uso da terra e utilizando matéria-prima legalizada. Vale a pena sempre observar certificações e selos de qualidade e eficiência. E nunca se esqueça de explicar as razões de determinada escolha para seu filho. Exercite um consumo consciente em casa.

4. Evite o desperdício

Pequenos hábitos fazem uma grande diferença: fechar a torneira enquanto escova os dentes ou lavar louça, usar lâmpadas eficientes como as de LED, evitar banhos demorados e consertar vazamentos.

Há muitas maneiras de se economizar especialmente energia e água. Percorra a casa junto com seu filho, anotando tudo que pode ser mudado. Faça as alterações aos poucos, como tirar da tomada os aparelhos que estão em standby, configurar o computador para desligar a tela ao invés de usar um protetor de tela quando não estiver em atividade, coletar a água da máquina de lavar para enxaguar a cozinha, entre outras.

Descobrir também de onde vêm a água e a energia da sua casa vai ajudar a sua família a entender porque é importante evitar o desperdício. No Brasil, o abastecimento de ambas costuma ter relação com barragens e represas, que causam impactos ambientais significativos com a inundação de grandes áreas de mata, desvio do curso de rios e o deslocamento de comunidades tradicionais.

Evite o desperdício de alimentos. Quando for cozinhar, aproveite o máximo que conseguir de todas as partes, incluindo talos e cascas dos vegetais, que normalmente são descartados. Crie novas receitas com a ajuda do seu filho!

5. Separe o lixo e incentive o reúso

Reciclar economiza o bolso e o planeta! Você pode estimular seu filho a descartar adequadamente o lixo de casa - separando o reciclável e reutilizando material orgânico como adubo para plantas.

Comece explicando ao seu filho que a reciclagem é uma maneira de evitar o desperdício com o reaproveitamento de alguns materiais, além de economizar energia e matéria- prima para a produção de novos itens. Esclareça quais materiais podem ser reciclados, e onde eles devem ser descartados. Lixeiras coloridas para os diferentes materiais (plástico, papel, vidro) são uma boa opção para despertar o interesse do pequeno.

Quanto à matéria orgânica, é possível utilizá-la como adubo para as plantas. Uma maneira divertida é ter uma composteira, com ou sem minhocas em casa. Mas atenção: ambas dão trabalho! É preciso cuidar direitinho para que a composteira não vire lugar de bichos, como drosófilas, e acabar cheirando mal. Lembre-se que lixo reciclável é lixo seco e deve-se mantê-lo limpo quando separado.

E que tal descobrir para onde o lixo vai? Vocês dois podem conversar com catadores de lixo, visitar cooperativas de reciclagem ou aterros sanitários para entender a importância da destinação correta dos resíduos.

Incentive seu filho a fazer o reúso de materiais, como usar os dois lados de uma folha de papel ou criar um brinquedo de sucata. Dê também preferência a materiais já reciclados na hora das compras. Há muitas opções no mercado. Escolha produtos com poucas embalagens - para gerar menos resíduo - ou que estejam protegidos por papelão ou vidro, mais fáceis de reciclar do que plástico.

6. Troque, doe, conserte, alugue ou compre usado

Que tal doar o material escolar antigo do seu filho para outra criança ou ajudar a organizar uma feira de trocas em sua casa ou na escola?

Exercite outras maneiras de adquirir algo de qualidade, além da compra tradicional. Há lugares como brechós onde é possível comprar roupas usadas - inclusive infantis - em bom estado e a preços camaradas. Também é possível organizar um bazar com amigos e seus filhos, e aproveitar para fazer do momento um encontro divertido.

Quanto aos brinquedos que quebram, tente consertá-los antes de descartá-los. Se o pequeno já enjoou deles, vale participar de feiras de troca de brinquedos. E que tal alugar um deles? Há lojas especializadas em consumo compartilhado entre crianças, que estimulam o desapego e a brincadeira em si - e não o objeto.

7. Descubra de onde a comida vem

Dê preferência a produtos locais, para evitar especialmente custos ambientais com transporte. Visitar com seu filho produtores de alimentos da região ou descobrirem a origem do que está à venda no supermercado e na feira podem ser opções.

"Há crianças que nunca viram uma galinha ou um pé de alface, e acreditam que o leite vem da caixinha", conta a educadora ambiental Rafaela Aparecida da Silva. Segundo ela, é importante que seu filho tenha noção de onde vem a comida, para entender os custos sociais e ambientais envolvidos em sua produção, transporte e venda.

Leve seu filho junto quando for fazer compras e tentem localizar a origem de cada um dos itens comprados com a ajuda dos rótulos e de um mapa. Visualizar as grandes distâncias que os alimentos percorrem para chegar à mesa é um bom começo para entender a importância de consumir produtos da sua região.

Feiras livres são uma opção para seu filho ter contato com produtos naturais e frescos. Vocês também podem se divertir fazendo uma pequena horta em casa. Cultive temperos em vasinhos, por exemplo. Isso mostra a importância de cuidar e se alimentar com o que vem da terra.

8. Ande a pé, de bicicleta ou use transporte público

Carros geram muita poluição e não transportam tantas pessoas como ônibus e trem. Se o trajeto for curto, experimente andar de bicicleta ou a pé com seu filho.

É uma maneira de passarem mais tempo juntos, conversando e observando detalhes que não costumam ser vistos quando você está ao volante.

9. Fique atento às sugestões do seu filho

As crianças também podem sugerir ideias inovadoras que aprendem na escola, na televisão ou na casa de amigos e acabam ajudando o meio ambiente. Esteja disposto a adotá-las em casa!

"Incorporar as sugestões da criança, além de um ato pela sustentabilidade, é também uma maneira de valorizá-la", comenta a educadora ambiental Rafaela Aparecida da Silva.

Para isso, é importante que você se mostre disponível para ouvir seu filho, e o deixe à vontade para compartilhar uma novidade.

10. Mantenha-se informado

É importante estar a par dos temas relacionados ao meio ambiente, e transmiti-los para toda a família.

A todo o momento surgem notícias com temáticas ambientais. Com o bombardeio de informação, fica difícil saber o que é prioridade e verdadeiro. Seu filho também está sujeito a isso e virá com muitas perguntas. Ninguém é obrigado a saber tudo, mas você pode aproveitar as dúvidas - suas e dele - para propor pesquisas na internet ou uma ida à biblioteca atrás dos livros adequados.

Sugira ao seu filho livros, filmes, programas de televisão, jogos e desenhos animados que também abordem assuntos ambientais. Algumas ideias: o livro O Nabo Gigante (Aleksei Tolstói) e desenhos como O Rei Leão (1994), Pocahontas (1995) e O Lorax: Em Busca da Trufula Perdida (2012).

E, por fim, que tal engajar-se em uma causa? Há muitos indivíduos e instituições que realizam trabalhos sérios socioambientais e que esperam pelo apoio da sociedade. Conversar com seu filho é um primeiro passo para descobrir com qual assunto vocês poderiam se envolver fora de casa.

 

Fonte: Educar para Crescer

http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/10-ideias-voce-seu-filho-agirem-prol-planeta-857320.shtml?utm_source=redes_educar&utm_medium=facebook&utm_campaign=redes_educar


Postado em 25/05/2015


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé