Meu filho não sabe perder!
A vitória é doce, mas as crianças precisam entender que fracassar não é o fim do mundo. Perder faz parte da vida e lidar com isso é fundamental
 
Regina Fiore Ribeiro 
 
 
Seu filho precisa aprender a perder
 
Quando seu filho está em um jogo de futebol, comece a reparar bem: ao lado dos amigos, ele se torna bastante competitivo e ganhar se transforma em um objetivo de vida (pelo menos durante aquele jogo). Isso não é característica exclusiva do futebol. Natação, basquete, vôlei, queimada e até uma corrida até o outro lado do quintal já são motivos suficiente para que o espírito competitivo aflore e tome conta do jogo.
 
Lee Hancock, treinador de um time de futebol nos Estados Unidos e coautor do livro Potentialing Your Child in Soccer (Potencializando Seu Filho no Futebol, em tradução livre), diz que existem algumas crianças que só pensam em vencer durante o jogo e existe uma explicação para isso. Afinal, por que elas estão sempre tão preocupadas em chegar em ocupar o primeiro lugar?
 
 
Brigando para ser o primeiro
 
Competitividade é natural entre as crianças de 3 a 5 anos, diz Eileen Kenney-Moore, coautora de Smart Parenting for Smart Kids (Pais Inteligentes para Crianças Inteligentes, em tradução livre). Apesar de a competitividade ser um assunto bem sério, não se preocupe tanto se seu filho vir em alguma situação a oportunidade a chance de mostrar que é melhor do que os amigos pulando mais alto, nadando mais rápido ou chegando em primeiro lugar. “Crianças dessa idade estão começando a assimilar o conceito do que é ganhar”, diz Eileen Moore.
 
“Até a idade dos quatro anos, eles vão competir por tudo: o meu é melhor, o meu é maior, o meu é mais divertido, o meu é mais azul. Eles ainda não sabem toda a complexidade que envolve o que é ganhar e o que é perder, mas eles já entendem que ganhar é bom, então eles querem ganhar tudo”, explica a especialista. No entanto, seu filho que quer sempre ganhar nem sempre faz a conexão entre seu próprio comportamento e a reação das outras pessoas, então ele pode ficar confuso quando as crianças pararem de brincar com ele.
 
“Pergunte a ele: Você sempre ganha e seus amigos sempre perdem, como você acha que eles se sentem? Como você se sentiria?”, diz Eileen Moore. Depois explique que ele pode agir de uma forma diferente da próxima vez, dando chance para todo mundo ganhar. Os amigos do seu filho também vão querer participar de mais atividades com ele se ele aprender que vencer é uma questão de esforço e não de recompensa. Por isso, é importante mostrar para seu filho que é muito mais importante se divertir enquanto brinca do que vencer os amigos.
 
Perder faz parte da vida. Em algum momento, seu filho vai precisar encarar o que é ser derrotado, mas nem por isso ele precisar estar conformado com a perda. O importante é que ele saiba que alguns dias são melhores do que outros e que as pessoas precisam aprender, antes mesmo de se tornarem competitivas, a cooperarem umas com as outras e a infância é o período ideal para isso.
 
Vivemos em um mundo competitivo e, quanto mais velha for a criança, mas ela vai experimentar a sensação de ganhar – e perder. “Ensinar resiliência agora prepara as crianças para o sucesso, porque eles aprendem que o fracasso não é o fim do mundo, é apenas uma chance para tentar de novo”, conclui Hilary Levey Friedman, sociologista de Harvard
 


Postado em 12/08/2015


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé