Sugestões para melhorar as habilidades mentais afetadas pelo TDAH
por Amanda Puly
 
Ter TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) é muito difícil, especialmente para crianças em fase escolar. Para entender o TDAH é necessário perceber que os sintomas vão muito além da falta de atenção. O transtorno pode afetar as pessoas de maneira diferente e maior ou menor grau. Em todos os casos, o TDAH afeta o aprendizado, os relacionamentos, a auto estima e pode comprometer a carreira profissional no futuro.
 
Algumas habilidades mentais comprometidas pelo TDAH:
  • Gerir pensamentos, sentimentos e emoções;
  • Manter o foco e a concentração;
  • Organizar mentalmente o que está sendo ouvido, memorizar e organizar as ideias;
  • Gravar sequências como o alfabeto, números ou os meses do ano, por exemplo;
  • Pensar antes de agir;
  • Estimar o tempo para realizar atividades (deixando sempre para a última hora).

Deixo algumas sugestões de estratégias que ajudam a melhorar as habilidades mentais comprometidas pelo TDAH:

  • Ensine a criança a fazer listas, colocar metas/objetivos do dia de forma escrita.
  • Faça pequenos testes para que a criança desenvolva a habilidade de gerenciamento do seu tempo. Peça-a que adivinhe quanto tempo demora para fazer uma determinada atividade, como lição de casa ou quebra-cabeças, por exemplo e marque a execução em um cronômetro. Mostre o comparativo entre estimado e realizado. Esse “treino” ajudará em a organizar atividades futuras, tanto escolares como profissionais.
  • Incentive o hábito de contar histórias, sejam elas de um filme, livro ou do seu próprio dia a dia. O objetivo aqui é fazer com que ela trabalhe sua memória e também o alinhamento do pensamento (começo, meio e fim).
  • Crie brincadeiras que envolvam a organização e a memorização, como colocar livros em ordem alfabética, objetos em ordem crescente ou decrescente, alinhar cartas de baralho por sequência de números e naipes.
  • Deixe que a criança perceba o que esqueceu ou o que pode fazer melhor, apenas com perguntas norteadoras, sem simplesmente fazer por ela. Por exemplo: “Qual é o próximo passo?” ou “Tem certeza que você pegou tudo?”.

É claro que essas sugestões não substituem acompanhamento médico. São apenas algumas ideias que podemos utilizar em casa para que a criança com TDAH consiga treinar melhor seu cérebro a desenvolver algumas habilidades prejudicadas pelo transtorno.

Fonte: Clube Materno


Postado em 01/08/2016


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé