Seu filho tem déficit de atenção ou apenas uma dificuldade de aprendizado?
Família e escola devem ficar atentos para que a criança não seja vista como preguiçosa ou desinteressada
 
Quando estão em período escolar, é comum algumas crianças apresentarem certas dificuldades. Mas, como saber se essa complicação é ou não um transtorno? Pais e professores também se deparam com esse questionamento. Segundo o neuropediatra, Dr. Clay Brites, o Transtorno de Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) manifesta-se quase sempre antes dos 12 anos de idade, com sinais como alterações no sono, alimentação, humor, entre outros. 
 
Saiba mais nessa entrevista: 
 
iSaúde Bahia -  O que é o TDAH?
Dr. Clay Brites  - O TDAH é um transtorno de desenvolvimento caracterizado por um EXCESSO de déficit de atenção, hiperatividade e impulsividade resultante de uma má autorregulação – pela criança, adolescente e adulto –  em seu cérebro, por deficiência de dopamina e noradrenalina nos respectivos circuitos de atenção executiva e  de processos cognitivos interligados que controlam os impulsos, as habilidades motoras, as respostas às frustrações e à organização motora, em especial para cumprimentos de tarefas do cotidiano. Começa quase sempre antes dos 12 anos, tem sinais que podem aparecer antes dos cinco anos e afeta vários aspectos da vida da criança como sono, alimentação, humor, controle de esfíncteres, aprendizagem de regras e rotinas e aprendizagem escolar. É genético (80% dos casos) e predominantemente em meninos. Outras condições que aumentam o risco de desenvolvê-lo é o nascimento prematuro e o baixo peso ao nascer.
 
iSB - Como é o comportamento de crianças com TDAH?
Dr. Clay Brites  - Os comportamentos do TDAH variam de uma criança/adolescente para outra/outro de intensidade e de perfil comportamental. Daí vem a heterogeneidade: algumas não são agitadas e impulsivas sendo somente desatentas e introspectivas;  outras são extremamente agitadas e extrovertidas demais;  outros são altamente egocêntricas e opositoras; outros são imaturos e ingênuos demais. Mas todos eles têm, em comum, os sintomas acima, e os prejuízos são mais intensos em determinadas áreas, dependendo da criança e de seu ambiente. 
 
iSB - Como os pais devem lidar com os transtornos?
Dr. Clay Brites  - Os pais devem lidar seguindo preceitos de terapia comportamental e conhecendo bem o que significa o TDAH. Em termos gerais, ele deve em 10 passos:  
1) ter muita paciência para explicar e delegar tarefas, pois a criança costuma esquecer muito;  
2) motivá-la sempre a cumprir tarefas que naturalmente são chatas, convencendo-a de que fazê-la terá recompensas;  
3) dar mais tempo para ela entender e processar o que se fala, se dialoga e solicita para que possa ter mais tempo para cumprir corretamente e evitar erros desnecessários, os quais reduzirão sua autoestima;  
4) falar de forma clara, objetiva, “olho no olho” e verificar se entendeu;  
5) sempre ajudar nas tarefas, especialmente a se organizar e a cumprir com eficácia (o pai que deixa o que gosta para demonstrar que ficará com a criança para as tarefas a motiva a fazê-lo sem reclamar ou procrastinar);  
6) manter, em casa, uma rotina e exposição clara de regras e prazos, pois essa criança tem excessiva dificuldade para criar parâmetros, ficando sempre tudo muito incompleto e fugaz em sua mente quando tem que se engajar em atividades sem recompensa imediata ou que ela é obrigada a fazer por fazer;  
7) evite chamar a criança por termos pejorativos por causa dos recorrentes fracassos;  
8) fique sempre atento ao seu rendimento escolar, especialmente no que tange à leitura, escrita e matemática, as quais são básicas e fundamentais para aprender a sequência do que virá durante todo o resto da vida acadêmica e, no caso do TDAH, pode-se transformar numa progressiva sucessão de fracassos ano a ano;  
9) demonstre que entende seus erros e que deve tentar novamente; em caso de conseguir, elogie muito, muito;  em recidiva de erro, ajude e elogie seu esforço;  
10) recompensar e elogiar essas crianças tem maior eficácia do que castigar e punir; portanto, procure agir sempre de forma construtiva com ela.
 
iSB - Como o TDAH pode ser identificado?
Dr. Clay Brites  - A identificação do TDAH depende de avaliação interdisciplinar. A suspeita pode começar pelos pais, professores e outros cuidadores e, assim, posteriormente, ser encaminhada para avaliação neuropediátrica, psicológica, fonoaudiológica e psicopedagógica, para análises específicas de cada área. Mas é importante ressaltar que todos esses profissionais devem conhecer e dominar o assunto e trocar informações por meio de relatórios. 
 
iSB - Na infância, quais problemas podem causar no dia a dia da criança?
Dr. Clay Brites  - Dificuldades em se socializar, pois quer brincar sem parar um minuto e quer tudo rápido nos processos de brincar; briga e se irrita com facilidade, pois quer sempre ter razão e comandar; acaba não aprendendo a brincar com brinquedos que exigem maior concentração e paciência e pode perder oportunidades no aprender; cansa demais seus cuidadores e passa a ser privada de determinadas experiências, lazeres e lugares; fica malvista na família e sofre discriminação e preconceito dos parentes; baixo rendimento na escola, especialmente nos processos de aprendizagem da leitura, escrita e matemática; risco maior de acidentes; maior risco de abandono afetivo e maus-tratos. 
 
iSB - No colégio, crianças e adolescentes que têm TDAH aprendem da mesma forma que aquelas que não têm ou é preciso uma atenção especial em algum aspecto do ensino? Quais problemas podem ocorrer?
Dr. Clay Brites - É preciso uma atenção especial na didática, na dinâmica de sala de aula, na organização de seus pertences e rotinas, no apoio durante a aprendizagem da leitura/escrita/matemática, vigilância para que não progrida nos anos iniciais com lacunas de conteúdo, suporte mais individualizado e reforço escolar.
 
iSB - Uma vez diagnosticada e fazendo o tratamento, os sintomas podem desaparecer? Fale sobre isso.
Dr. Clay Brites  - Em somente 30% dos casos, ele pode desaparecer até a fase adulta. Na grande maioria, vai persistir e necessitar de suporte medicamentoso e psicoeducativo.
 
iSB - Muitos pais confundem uma criança agitada com uma criança com TDAH. Como diferenciar? Existe algum exame?
Dr. Clay Brites  - Não há um exame específico para identificar o TDAH. A diferença está na intensidade dos sintomas de inquietude e nos prejuízos que estão aparecendo por causa desse tipo intenso de descontrole comportamental. Havendo dúvidas, consulte um psicólogo ou psicopedagogo. 
 


Postado em 10/10/2017


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé