O livro ideal conforme a idade da criança
E os livros infantis que marcaram as últimas décadas
 
Por Jorge Luiz de Souza
 
Pais e avós com pouca experiência sempre esbarram nessa questão: como escolher qual é o livro adequado para cada faixa de idade da criança? Por isso, esta dica vai ser muito bem vinda. E foi preparada por quem entende muito do assunto.
 
A primeira coisa a observar são os gêneros que se adaptam a cada faixa etária. Existem as histórias infantis ilustradas, os contos, as fábulas que podem ou não estar no nível de compreensão da criança.
 
Pra encurtar a conversa, vamos às dicas:
 
Até os 3 anos
Dos primeiros meses até o quarto ano de idade é um período em que já se pode introduzir gradativamente a leitura na vida da criança. É essencial criar o hábito da leitura e praticá-lo frequentemente. Assim, seu interesse é aguçado por meio de texturas, cores, sons e também pela voz de quem conta a história. Pop-ups e dobraduras são outros grandes aliados. O gênero não é nenhum segredo: os bebês gostam de livro que estimula sua visão, audição e tato, independente do tipo de história infantil.
 
Dos 4 aos 6 anos
As ilustrações continuam sendo indispensáveis para esse período, mesmo sem o uso de texturas e dobraduras. Os contos de fadas e aventuras são gêneros atrativos. Procure escolher livros com poucas páginas, textos ampliados e espaçados – ou seja, livros mais lúdicos, mas ainda assim com histórias.
 
Dos 7 aos 9 anos
Nessa fase, a criança já está familiarizada com o hábito de ler e está iniciando a alfabetização. Essa é a época da curiosidade e da descoberta das preferências literárias do pequeno. As histórias com moral, como as fábulas, vão ajudar a ampliar a imaginação, caráter e repertório cultural da criança, além de desenvolver o seu vocabulário.
 
Dos 10 aos 12 anos
Suspense e muita aventura são os assuntos que mais chamam atenção entre as crianças nessa fase. É o período da pré-adolescência, no qual as ilustrações, texturas e outros recursos utilizados para os leitores mais novos já cedem espaço para textos mais complexos. Essa é a fase de reflexão, em que o pequeno procura desvendar mistérios, curiosidades e outros quebra-cabeças.
 
Dica para todas as idades
É claro que existem tipos de histórias que atraem mais uma criança do que outra. Além de verificar a faixa-etária e o gênero, é sempre importante valorizar o gosto da criança – que vai se desenvolvendo cada vez mais com a leitura cotidiana.
 
Quem marcou época
A Leiturinha também preparou uma lista com sugestões de leitura. São os campeões de cada década nos últimos 100 anos. Então, vamos ao livro de cada década:
 
Década 1920: A Menina do Narizinho Arrebitado – Monteiro Lobato. Lançado em 1920, é o primeiro clássico infantil do autor. Essa obra deu início a uma série de personagens eternizados no Sítio do Picapau Amarelo.
 
Década 1930: Aventuras do Avião Vermelho – Érico Veríssimo. Lançado em 1936, esse clássico conta a história de Fernando e seu pai. Com um aviãozinho vermelho, a imaginação do leitor é transportada por uma grande aventura.
 
Década 1940: O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry. Lançado em 1943, é uma história sensível que se passa num planeta muito, muito distante. O escritor era francês criou esse clássico há 70 anos, mas ele transcende gerações e gostos literários.
 
Década 1950: As crônicas de Nárnia – C. S. Lewis. Lançado entre 1949 e 1954, é uma série de fantasia criada pelo autor irlandês do Norte. Nesta aventura, os animais falam, os objetos têm vida e as crianças são inseridas em batalhas entre o bem e o mal.
 
Década 1960: Flicts – Ziraldo. Lançado em 1969, o clássico do cartunista Ziraldo conta uma história emocionante que permite refletir sobre respeito, diferença e aceitação.
 
Década 1970: O Escaravelho do Diabo – Lucia Machado de Almeida. Lançado em 1974, é um clássico juvenil de mistério e muito suspense. Sua primeira publicação aconteceu em 1953, na revista O Cruzeiro. Em 1974, O Escaravelho do Diabo alcançou maior sucesso ao ser republicado pela Série Vaga-Lume.
 
Década 1980: O Menino Maluquinho – Ziraldo. Lançado em 1980, é uma série de quadrinhos eternizados por muitas crianças, servindo de inspiração para peças teatrais, filmes, óperas e séries de televisão.
 
Década 1990: Harry Potter e a Pedra Filosofal – J. K. Rowling. Lançado em 1997, é o primeiro livro dos sete volumes da série de fantasia Harry Potter. As obras deram origem a filmes que fizeram com que o bruxinho virasse uma febre entre crianças, adolescentes e até adultos de todo o mundo.
 
Década 2000: O Diário de um Banana – Jeff Kinney. Lançado em 2007, mostra que não é nada fácil ser criança. E esse “banana” sabe bem disso! Quem entende melhor do que todo mundo o que é ser criança é Greg, um menino comum. Como qualquer outro, ele passa por disputas na escola e sofre com sua baixa popularidade. Diário de um Banana é sucesso até hoje entre crianças e pré-adolescentes de todo o mundo.
 
Década 2010: Malala, a Menina que Queria Ir Para a Escola – Adriana Carranca Corrêa. Lançado em 2015, Malala é um best-seller, escrito pela brasileira Adriana Carranca, que conta a história de Malala Yousafzai. Ela sofreu um atentado de membros do movimento Talibã por defender a educação feminina no Paquistão. Uma emocionante história sobre coragem e resiliência.
 
Fonte: Avosidade / Leiturinha


Postado em 01/11/2017


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé