Saiba quais os tipos de problemas mais comuns na adolescência e suas causas
A inteligência emocional precisa estar presente desde cedo na vida dos jovens
Por: Equipe SBie
 
A adolescência é uma fase marcada por muitas transformações, que podem levar o jovem a desenvolver problemas de autoestima e relacionamento. Entre 2013 e 2014, foi realizado o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes, que analisou informações a respeito de 85 mil jovens com idades entre 12 e 17 anos, em 124 municípios. A pesquisa, que foi financiada pelo Ministério da Saúde, mostra que 30% dos jovens apresentam problemas que podem levar à depressão, sendo que os mais comuns são:
 
Tristeza frequente;
Dificuldade de concentração;
Insônia;
Falta de disposição;
Ansiedade.
 
Problemas na adolescência: por que ocorrem?
 
A adolescência é uma fase complicada para a maioria das pessoas, uma vez que este é justamente o período em que o indivíduo começa a formar sua própria opinião, questionar as verdades que lhe foram apresentadas e criar sua identidade particular. Esta fase da vida é marcada por muitas transformações físicas, psicológicas e hormonais, e todas essas mudanças podem gerar ansiedade e uma sensação de vulnerabilidade.
 
Além de todas as mudanças que afetam o adolescente, ele passa a sentir uma grande necessidade de se enquadrar nos padrões sociais e midiáticos, desejando ser aceito. Todas essas preocupações podem fazer com que o jovem desenvolva problemas de autoestima e alterações relacionadas à autoimagem.
 
Vale ressaltar que a estrutura e organização do pensamento passam por um grande processo de transformação ao longo da adolescência, uma vez que o indivíduo já não é mais criança e ainda não atingiu a maturidade da vida adulta. Mesmo com muitas vontades individuais, o jovem ainda não pode tomar as próprias decisões, e isso pode dar origem a diversos conflitos e até desencadear um quadro depressivo.
 
Baixa autoestima: um problema típico da adolescência
 
A baixa autoestima é responsável por desencadear diversos problemas durante a adolescência, tais como: compulsões, fobias, crises de ansiedade e depressão. Se não tratado de forma adequada, o problema pode acarretar consequências sérias quando o indivíduo entra na fase adulta.
 
Desenvolver uma relação mais positiva consigo mesmo é fundamental para que o adolescente consiga se posicionar de maneira mais saudável diante dos conflitos normais dessa idade.
 
A importância da Inteligência Emocional na adolescência
 
Desenvolver a Inteligência Emocional durante a adolescência possibilita uma transição mais saudável e feliz para vida adulta. Quando o jovem consegue identificar as próprias emoções, ele cria ferramentas para desenvolver maturidade emocional e, assim, consegue encontrar um aprendizado diante de todos desconfortos dessa fase.
 
Qual o papel dos pais e educadores?
 
A tendência é que os filhos sempre repitam o comportamento de seus pais e, por esse motivo, é importante entender que a maneira como a família age interfere diretamente na personalidade e no comportamento dos jovens. Por conta disso, os pais precisam olhar para as próprias emoções e avaliar suas próprias crenças limitantes, entendendo seus comportamentos condicionados.
 
A Inteligência Emocional precisa estar presente desde cedo na vida dos jovens, tanto em casa quanto na escola. O esforço precisa ser conjunto entre os pais e professores, de modo que esse desenvolvimento possa ser acompanhado integralmente. Com Inteligência Emocional, é possível construir uma sociedade com pessoas mais confiantes, saudáveis, felizes e conscientes.
 
Fonte: Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional 


Postado em 20/12/2017


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé