Saiba como escolher a melhor faculdade para você em 12 passos
Afinal, como encontrar a melhor faculdade para você tirar o seu diploma? Ao longo dos últimos anos, o ensino superior no Brasil observa crescimento significativo na oferta de vagas.
 
Esse aumento abrange as três áreas de conhecimento: humanas, exatas e biológicas. Se por um lado, a proliferação de universidades democratizou o acesso à graduação, não se pode dizer que a qualidade do ensino oferecida em boa parte dos cursos é satisfatória.
 
O que fazer? Num primeiro momento, é preciso ter muito cuidado para selecionar uma instituição séria, que esteja comprometida com o desenvolvimento acadêmico e com a formação de profissionais preparados para o mercado de trabalho.
 
Em seguida, o futuro aluno deve avaliar se a infraestrutura do curso está de acordo com as suas expectativas e se a proposta pedagógica atende a seu perfil.
 
Mas, na prática, como avaliar todas essas questões? Nós vamos lhe explicar!     
 
Após a leitura deste post, você vai compreender:
 
- quais os pontos devem ser observados durante a análise da estrutura da faculdade;
qual é a importância de visitar o campus;
- como conhecer a grade curricular do curso;
como descobrir se seus futuros professores estão realmente capacitados para ensinar;
- de que forma o ministério da Educação avalia os cursos superiores.
 
Além disso, há outras dicas valiosas para você se preparar e escolher a melhor instituição para seguir com seus estudos!
 
Preparado? Boa leitura!
 
1. Analise a estrutura que a faculdade oferece
Conhecer as condições físicas que a faculdade oferece a seus alunos é o primeiro passo a ser dado.
 
Avalie o estado de conservação dos prédios, se as salas de aula são equipadas com materiais modernos, se possuem iluminação e ventilação adequadas e se as condições de limpeza estão de acordo com o seu padrão de exigência.
 
O cuidado deve ser redobrado se o curso que você escolheu exige uma estrutura especial. É o caso das áreas de saúde, de comunicação visual e de arquitetura, por exemplo. Nessas situações, procure saber se a faculdade disponibiliza os equipamentos necessários para as aulas práticas.  
 
A IMPORTÂNCIA DA BIBLIOTECA
De tão importante, reservamos um subtítulo especial só para ela: a biblioteca. Esse espaço tem um papel fundamental no desenvolvimento do aluno: é o responsável por ser a sustentação do ensino desenvolvido em sala de aula.
 
A biblioteca serve tanto para as atividades do currículo do curso quanto para as atividades de pesquisa e extensão acadêmicas. Dessa forma, procure avaliar:
 
- a qualidade do prédio em que está instalada a biblioteca;
se o local possui área para estudos individuais ou em grupos;
quais são as condições de conforto e iluminação;
- o tamanho e a qualidade do acervo de livros, revistas e jornais para consulta;
se há possibilidade de empréstimo dos materiais.
 
A partir da análise desses pontos, é possível compreender qual é a importância que a faculdade dá para a biblioteca. Esse local de aprendizado pode ter uma contribuição valiosa para o aprimoramento dos seus estudos.
 
OS VALORES ÉTICOS E MORAIS E O FOCO DE ATUAÇÃO
Além da estrutura física, você deve compreender quais são os valores éticos e morais em que estão baseados o ensino da faculdade em questão. Verifique se eles são compatíveis com os seus.
 
Analise também o foco de atuação das instituições. Existem, por exemplo, universidades mais voltadas para o mercado de trabalho, enquanto outras privilegiam a pesquisa acadêmica. Conhecer essas diferenças e saber em qual delas você se enquadra melhor é importante para que o melhor aproveitamento do curso que você pretende realizar.
 
2. Visite o Campus para conhecer o ambiente de estudos
A visita ao Campus é o passo que completará a avaliação da estrutura física da faculdade, explicada no item anterior. Essa é a hora de conferir se os relatos e as informações que você colheu estão de acordo com a realidade.
 
Muitas universidades realizam visitas guiadas. Nessas oportunidades, é possível averiguar os espaços de convivência, restaurantes, prédios, biblioteca, ou seja, tudo que a faculdade oferece.
 
Essas visitas são gratuitas e, normalmente, basta entrar em contato com a instituição para saber quando elas ocorrem.
 
Durante a visita, peça para ver:
 
- salas de aula;
auditórios;
- espaços de convivência;
restaurante universitário;
- estacionamento;
internet Wi-Fi;
laboratórios gerais e específicos do curso;
biblioteca.
 
LOCALIZAÇÃO DO CAMPUS
A visita ao Campus também pode servir para compreender as formas de deslocamento e o tempo que cada uma delas leva para fazer você chegar do seu ponto de partida até o local de estudos. Procure saber as seguintes informações.
 
- a universidade é bem atendida por linhas de ônibus ou de metrô?
- quanto custam as corridas de ida e volta do Campus, por meio de aplicativos de transporte ou táxi?
quanto custa o estacionamento? Ele fica dentro do Campus ou em suas proximidades?
 
Esse planejamento logístico pode fazer a diferença na hora de escolher a melhor faculdade para você. Morar muito longe pode ser um grande problema. Além do tempo perdido, o trânsito pode fazer com que você chegue atrasado, perca algumas aulas e se desgaste mais.
 
3. Avalie a grade curricular oferecida para seu curso
A grade curricular consiste nas disciplinas que serão oferecidas no decorrer do curso. Verifique quais são as disciplinas obrigatórias e as eletivas. Busque comparar as instituições de ensino para ver se há discrepância entre o conteúdo ofertado.
 
Uma faculdade que não consegue fornecer o mínimo desejado não está apta a prepará-lo adequadamente. Em casos de dúvidas quanto a qualidade curricular, consulte a avaliação dela no MEC (explicaremos como fazer isso mais adiante neste post).
 
Veja também se as aulas se concentram em um único Campus ou se determinadas disciplinas são ministradas em outro local. Essa situação é mais comum em universidades públicas.
 
4. Pesquise sobre o corpo docente
Não adianta em nada uma faculdade investir nos melhores recursos físicos e tecnológicos se o material humano não estiver preparado para utilizar tais ferramentas. Assim, o alto nível de ensino está diretamente ligado à excelência dos professores.
 
Em um primeiro momento, avalie a titulação dos docentes. Veja se a quantidade de mestres e doutores é alta. Consulte também a experiência deles no mercado de trabalho.
 
Confira, por exemplo, se já passaram por grandes empresas ou se possuem pesquisas importantes na área. Essa vivência é decisiva para o enriquecimento das aulas.
 
As informações sobre os professores normalmente estão publicadas no site da universidade. A apresentação costuma reunir:
 
- o currículo;
- a titulação;
as premiações conquistadas;
os trabalhos publicados de cada um.
 
Essas informações devem servir de base para aprofundar sua pesquisa.
 
COMO IR ALÉM
A partir da leitura do currículo dos professores do curso, é possível buscar informações em outras fontes. Por exemplo, pesquise sobre artigos e estudos publicados pelos professores na Internet. A leitura desses documentos vai fazer com que você se familiarize com os tópicos abordados na graduação.
 
O mesmo vale para os livros publicados. Pesquise resenhas críticas e avaliações sobre o conteúdo. Títulos que sejam referência na área são excelentes indicadores da alta qualidade do profissional.  
 
Se o professor for palestrante, busque pelo seu nome no YouTube. Há boa chance de que algumas de suas apresentações estejam disponíveis para você conferir.
 
Por fim, busque a opinião de alunos e ex-alunos sobre a didática em aula. Falaremos como fazer isso mais adiante nesse texto. A opinião de quem já vivenciou fornecerá elementos para compreender como é o engajamento, a motivação, a disponibilidade, a forma de avaliação e o estilo do professor, entre outras características.
 
5. Verifique a nota dada à instituição pelo MEC
O Ministério da Educação (MEC), anualmente, atribui notas às faculdades, sejam elas públicas ou privadas. Essa pontuação pode ser de extrema relevância para descartar possíveis opções e escalonar quais cursos merecem mais a sua atenção.
 
Cabe ressaltar que o mercado pode considerar essa avaliação como um norte para diferenciar candidatos a uma vaga de emprego. Na hora da análise curricular, uma empresa pode preferir os graduados de instituições cujo desempenho tem sido superior no conceito do ministério.
 
COMO FUNCIONA A NOTA DO MEC?
O MEC divulga duas formas de verificação: o CPC e o IGC. A primeira é uma nota para cada um dos cursos da faculdade. Já a segunda está relacionada à faculdade de forma geral: cursos de graduação e pós-graduação, estrutura disponível e demais recursos.   
 
ENTENDA O CPC — CONCEITO PRELIMINAR DE CURSO
A partir da nota do curso no ENADE (saiba mais a seguir), da quantidade de professores com mestrado e doutorado, da qualidade das instalações e dos recursos utilizados em sala de aula, o MEC designa o CPC do curso.
 
Essa nota varia de 1 a 5. Cursos com notas de 1 e 2 são obrigados a receber técnicos do ministério para reavaliação. Após a visita, a nota pode ser aumentada ou diminuída ainda mais.
 
Já os cursos que receberam nota igual a 3 ou superior podem decidir se desejam receber a avaliação presencial ou não. Caso não queiram, o CPC torna-se a nota do curso.
 
ENTENDA O IGC — ÍNDICE GERAL DOS CURSOS
A outra avaliação realizada pelo Ministério da Educação é o Índice Geral dos Cursos (IGC). O propósito desse conceito é ampliar a análise sobre as faculdades. Assim, o resultado do IGC considera a média ponderada no período de três anos dos resultados do CPC e do ENADEnade.
 
Os números seguem o mesmo padrão do CPC: valores de 1 a 5. Nesse caso, as faculdades muito abaixo da média podem ser punidas com o fechamento.
 
O alto desempenho no IGC é motivo de propaganda por parte das universidades. Normalmente, quando você lê ou escuta uma instituição anunciando que possui nota 4 ou 5 do MEC, ela provavelmente está indicando o conceito do IGC.
 
Caso você queira conhecer os conceitos das faculdades cadastradas, acesse o site do MEC.
 
6. Confira as últimas notas da prova do ENADE
Introduzido em 2004, o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes é a principal ferramenta aplicada pelo Ministério da Educação para fundamentar a avaliação dos cursos superiores no Brasil. Como vimos no item anterior, o ENADE é um dos conceitos decisivos para definir o CPC e o IGC.
 
COMO É ATRIBUÍDA A NOTA DO ENADE?
A prova do ENADE é organizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A nota final é definida por meio de três avaliações:
 
- prova aos estudantes de graduação que cursaram até 25% do curso;
prova aos estudantes que tenham cursado mais de 75% do curso;
questionário para alunos e coordenadores do curso.
 
COMO FUNCIONA A PROVA?
O Inep é responsável por anunciar os cursos que participarão do ENADE. A divulgação ocorre poucos meses antes da aplicação da prova.
 
Normalmente, o Instituto realiza um revezamento entre diferentes esferas de estudos. As universidades, então, devem fazer as inscrições dos alunos que se enquadram no perfil da avaliação e fornecer as informações pertinentes dos cursos que serão analisados.
 
O OBJETIVO DO ENADE
O principal objetivo do ENADE é apontar qual foi a evolução do aluno do início até o fim do curso. Essa é a razão para a escolha dos estudantes que estão iniciando e dos que estão terminando a graduação. A diferença detectada é observada pelo Indicador da Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD).  
 
7. Pesquise sobre a inserção dos formados no mercado
Onde estão os ex-alunos que passaram pela faculdade que você está interessado? Eles ocupam posições de destaque no mercado de trabalho? Saíram da universidade já empregados? Houve disputas entre grandes empresas para contratá-los?
 
As respostas para essas perguntas vão ajudá-lo a compreender como é a imagem da instituição de ensino analisada no mundo profissional. Essa avaliação é um diferencial importante para o seu currículo.
 
8. Veja se há programas de estágios e trainees
Concluir o ensino superior é apenas uma etapa para ter sucesso no mercado de trabalho. Tão importante quanto um diploma em uma boa universidade, a experiência prática faz muita diferença para se destacar dos demais candidatos a uma vaga.
 
Assim, programas de estágio e de trainees são oportunidades enriquecedoras durante a rotina acadêmica. Isso porque, além de utilizar o conhecimento teórico aprendido, a atividade profissional possibilita o aprimoramento de atributos pessoais que são pouco testados em sala de aula.
 
Relacionamento interpessoal, liderança, pressão por resultados e convívio com os chefes, por exemplo, são características típicas do meio empresarial. A assimilação dessa realidade acontece de forma muito mais rápida e eficiente na prática diária.  
 
Dessa forma, procure se informar se a faculdade incentiva essa experiência e se oferece programas específicos para a iniciação do estudante no mercado.
 
9. Pergunte sobre os convênios oferecidos — cursos extras, intercâmbios, iniciação científica
Desde o início do curso, vale muito a pena buscar experiência prática na área de atuação. Essa é a melhor forma de praticar o que você aprendeu e se preparar de forma consistente para o mercado de trabalho.
 
Clínicas-escola, estágios não-remunerados, participações em pesquisas, por exemplo, são oportunidades valiosas para adquirir experiência e começar a montar o seu currículo. Essas atividades extracurriculares proporcionam vivência na profissão e são ótimas oportunidades para aumentar o networking.
 
Assim, ao escolher a melhor faculdade, avalie se a instituição possui:
 
Bolsas de iniciação científica, permitindo que o estudante participe de projetos de pesquisa;
 
Parcerias para intercâmbio, que provêm ao aluno a rica experiência da mobilidade acadêmica no exterior. Verifique também quais são os países e quais são as instituições;
 
Estágio, permitindo a atividade prática desde o início, ainda na faculdade. Existem instituições que possuem parceria com empresas privadas para esse fim;
 
Atividades extracurriculares. Trabalhos voluntários, grupos de estudos, práticas esportivas são alguns dos projetos onde você pode se engajar, conhecer novas pessoas e ainda aumentar o seu currículo.
 
Idiomas. Veja se há cursos de idiomas disponíveis na faculdade. Será uma facilidade poder aprender uma nova língua no mesmo ambiente em que você tira sua graduação.
 
10. Avalie o custo-benefício do valor das mensalidades
Conciliar a faculdade que melhor atende a suas necessidades com a sua capacidade financeira pode ser uma situação difícil. Os cursos nas melhores universidades privadas possuem mensalidades caras, além do investimento que você terá de fazer em materiais e transporte.
 
Se você está com o orçamento apertado, a primeira ação a ser tomada é pesquisar sobre as bolsas de estudos que as faculdades oferecem. Consulte no próprio site da instituição ou em ferramentas como o Quero Bolsa.
 
FINANCIAMENTO ESTUDANTIL
Uma alternativa é verificar quais universidades participam de programas de financiamento estudantil, como o ProUni e o FIES. Cada modalidade possui particularidades, mas no final das contas elas tornam mais acessíveis o pagamento das mensalidades.
 
11. Converse com ex-alunos sobre sua experiência
As redes sociais são canais repleto de fotos, eventos e opiniões que você pode consultar sobre a universidade para qual deseja ir. Ali estão alunos, ex-alunos, professores, funcionários, todos expressando opiniões sobre atividades relacionadas ao curso.
 
Procure pela página oficial e por grupos de discussões dentro da faculdade. Leia atentamente os comentários. Caso tenha alguma dúvida, não hesite em fazer parte da conversa. As informações que você colher ali também podem servir de base durante a sua visita ao Campus.
 
Aproveite a Internet para perguntar sobre a didática e a rotina das aulas. Quem sabe nessa abordagem você já não faz novos amigos para quando as aulas começarem?
 
Escolher uma universidade é, portanto, uma tarefa que exige dedicação e muita pesquisa por parte do futuro aluno. Embora exista muita oferta de vagas, sobretudo nas particulares, a qualidade do ensino oferecida por essas instituições nem sempre é adequada para formar profissionais de alto nível.
 
Dessa forma, o candidato deve utilizar a Internet para explorar as condições de ensino oferecidas pelas faculdades. Estrutura de prédios, ferramentas de ensino, acervo bibliográfico e localização podem ser facilmente analisados através de pesquisas.
 
Em seguida, é preciso conhecer os professores e saber se eles possuem a formação necessária para oferecer aulas ricas em conhecimento. Novamente, a Internet é uma grande aliada para isso. Por meio dela, é possível consultar trabalhos e livros publicados pelo corpo docente.     
 
Por fim, é indicado confrontar todas as informações recolhidas na visita ao Campus à análise das notas divulgadas pelo MEC e às conversas com alunos e ex-alunos da instituição. O resultado desse esforço será a definição de qual é a melhor faculdade para você!
 
Agora que você já sabe os critérios que deve considerar para escolher uma excelente faculdade, que tal saber mais sobre a carreira ideal para seguir? Baixe gratuitamente nosso guia prático para escolher a profissão ideal do seu futuro!
 
Fonte: Universia - Publicado em 05 de Abril de 2018


Postado em 09/04/2018


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé