Crianças de 3 anos têm cérebro duas vezes mais ativo que o de adultos
Formação durante os primeiros anos de vida é fundamental
para estimular desenvolvimentos cognitivos, emocionais e físicos
por Paula Filizola
 
Nos primeiros anos de vida de uma criança, o cérebro faz mais conexões do que em qualquer outro período. Ao todo, são de 700 a 1.000 ligações por segundo. Quando ela chega aos três anos, tem uma mente duas vezes mais ativa do que a de um adulto. Todos esses estímulos ocorrem na fase da primeira infância, período compreendido de zero a seis anos.
 
“Esse momento é um dos mais importantes em termos de aprendizagem, pois é quando se constroem os caminhos da mente. Se uma criança for estimulada, vai aprender muito melhor ao longo da vida”, afirma o especialista Vital Didonet, membro da Rede Nacional da Primeira Infância.
 
Pesquisadores e educadores acreditam que meninos e meninas com desenvolvimento integral saudável durante os primeiros anos de vida têm maior facilidade de se adaptarem a diferentes ambientes e de adquirirem novas habilidades.
 
“Sabemos que o investimento na primeira infância vai retornando ao longo da vida da criança, porque ela aprende mais todos os anos, se alfabetiza, etc.”, pontua a diretora-executiva do movimento Todos Pela Educação, Priscila Cruz. Levantamento realizado sobre o aumento das matrículas pré-escolares em 73 países concluiu que cada dólar empregado na primeira infância representa, no futuro, um aumento de US$ 6 a US$ 17 nos salários.
 
Crianças com desenvolvimento integral saudável durante os primeiros anos de vida têm maior facilidade de se adaptarem a diferentes ambientes e de adquirirem novas habilidades
 
Diante da importância do tema, a Base Nacional Comum Curricular, ainda em fase de homologação, estabelecerá pela primeira vez o que cada criança de zero a seis anos tem direito de aprender nas escolas com propósitos separados por faixas etárias – 0 a 18 meses, 18 meses a 4 anos e 4 a 6 anos. Até então, essa fase não seguia qualquer orientação pedagógica formal.
 
Além do aprendizado previsto na fase escolar, a primeira infância compreende um conjunto de desenvolvimentos cognitivos, emocionais e físicos. Segundo Priscila Cruz, o Brasil ainda precisa criar uma boa política pública que englobe as áreas de educação, esporte, cultura, saúde e assistência social.
 
Didonet reforça a necessidade de elaborar um planejamento intersetorial com as áreas do governo e da sociedade para melhor atender as demandas da primeira infância. Segundo ele, quando se pensa sobre essa fase da vida é necessário levar em conta o contexto familiar. “Nesse período, tudo na criança é global. Ela aprende sempre o conjunto. Ou seja, a junção dessas áreas é o que a torna feliz e desenvolvida”, pondera o especialista.
 
Fonte: Metrópoles 


Postado em 08/10/2018


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé