Enem: atualidades nacionais que você não pode deixar de estudar
Temas como a greve dos caminhoneiros e as campanhas de vacinação
devem ser lembrados na hora de se preparar para a prova
 
POR JULIANA PASSOS, COM EDIÇÃO DE ISABELA MOREIRA
 
Para quem está estudando para o Enem, estar atento ao noticiário brasileiro é essencial: o exame promete cobrar o conhecimento sobre o contexto e a importância de atualidades nacionais. Como 2018 foi um ano um tanto quanto agitado, pedimos ajuda de professores para destacar e resumir os principais acontecimentos que podem ser abordados na prova. Veja abaixo:
 
Greve dos caminhoneiros
 
Logística
Em maio deste ano, os caminhoneiros pararam o Brasil com o bloqueio das rodovias. A forma como conseguiram interromper a distribuição de mercadorias e itens básicos, como o combustível nos postos de gasolina, trouxe à tona a discussão sobre a dependência das estradas. Ao contrário de países como Rússia e Estados Unidos, que privilegiam a distribuição de mercadorias por dutos, o Brasil sequer tirou do papel as promessas de realizar grandes investimentos em ferrovias — o transporte rodoviário é responsável por 75,9% dos serviços de distribuição de mercadorias no país, seguido pelo transporte marítimo (9,2%), aéreo (5,8%), ferroviário (3%) e cabotagem (0,7%).
 
Mobilidade urbana
O problema do transporte não se limita ao de cargas no Brasil: a mobilidade urbana nas cidades brasileiras continua em debate. Seja no incentivo de alternativas limpas, como o carro elétrico, iniciativas para compartilhamento e caronas, quanto do transporte coletivo. Ainda assim, a média de carros por habitante diminuiu e está em um para cada 3,89 habitantes, já as motos estão na média de um para cada 7,86 habitantes, de acordo com o levantamento realizado pela Confederação Nacional dos Municípios, divulgado em junho deste ano. A média de ônibus para cada 1.000 habitantes dificilmente ultrapassa 20 veículos e, pelo mapa do estudo, há uma enorme quantidade de cidades brasileiras não possuem frota de ônibus.
 
Saúde Pública
 
DSTs
Doenças facilmente tratáveis, como a sífilis, têm registrado um alto índice de vítimas no Brasil. Assim como o HIV, o crescimento do número ocorre principalmente entre os jovens. No caso da sífilis, dos 342,5 mil novos casos detectados entre 2005 e junho de 2017, 34% ocorreram em pessoas de 20 a 29 anos. Segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, o número de novos casos de infecção pelo vírus HIV no período foi quase um terço menor – 137 mil – e o perfil dos infectados é similar: 52% dos casos concentram-se em indivíduos com idades entre 20 e 34 anos.
 
Vacinação
Em um ano que o governo fez um novo chamado à vacinação para febre amarela, que acabou por superlotar postos de saúde nas cidades em que foi feita a recomendação, o medo de se vacinar também invadiu os grupos de Whatsapp e redes sociais. A rede de notícias falsas, conhecidas como “fake news”, cresceu tanto que os macacos começaram a ser mortos por medo da população de que estivessem espalhando a febre amarela. Um outro motivo para ficar atento à vacina foi a campanha realizada esse ano para imunização de sarampo e poliomielite em crianças.
 
Obesidade
Uma outra preocupação relacionada à saúde é o aumento de 60% na população obesa do país, em estudo também realizado pelo Ministério da Saúde divulgado em 2017. Isso significa que 19% dos brasileiros têm uma taxa de sobrepeso, um índice preocupante por agravar o risco de diabetes e doenças cardiovasculares. Embora não seja maioria, o alto índice de obesidade entre os jovens também preocupa: a pesquisa revelou que houve uma mudança nos hábitos alimentares, com a queda em 62% no consumo de feijão, um item básico da alimentação do brasileiro.
 
Educação
 
Reforma do Ensino Médio
A reforma do Ensino Médio tem como objetivo reformular a estrutura do ensino e a formatação das matérias, bem como o trajeto do aluno, que agora tem um número reduzido de disciplinas obrigatórias (matemática, português e inglês). As demais dependerão do itinerário formativo pelo qual o estudante optar.
 
Bullying
O tema veio à tona com a medida de responsabilização das escolas a partir da Lei nº 13663/2018, que aborda a realização de ações de combate ao bullying e a responsabilização das instituições. A proposta foi inspirada em um estudo da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais em que 70% dos estudantes afirmaram terem presenciado situações de violência no interior da escola.
 
Caso Marielle
A vereadora Marielle Franco foi assassinada a tiros após perseguição ao carro em que era conduzida para casa após um evento em conjunto com outras mulheres negras no Rio de Janeiro. O motorista Anderson Gomes também foi atingido e morto. Marielle foi a quinta vereadora mais votada na cidade e era conhecida por sua atuação junto com as mulheres, a população negra e a comunidade LGBTI, além de lutar pelo fim da violência policial.
 
Seu assassinato ocorreu em meio ao período de intervenção federal das forças armadas no Rio de Janeiro, que teriam por objetivo conter a violência na capital carioca. Apesar de o caso ainda não ter sido solucionado, a principal linha de investigação é a de crime político.
 
Meio Ambiente
 
Agronegócio
É sempre bom estar atento às questões ambientais e o contexto no qual estão inseridas. No Brasil, muitas vezes o meio ambiente é afetado pelo agronegócio, por conta de seu modelo extensionista, que dificulta a demarcação de terras dos povos indígenas, promove o desmatamento e adoece tanto a região de cultivo quanto os consumidores de produtos que contêm agrotóxicos.
 
Por outro lado, a produção agrícola brasileira é a principal responsável pelas exportações do país – vale lembrar que questões de economia são comuns no Enem. De acordo com o Ministério da Agricultura, o agronegócio responde por 44,8% das exportações totais do Brasil. Em 2017, essas exportações somaram 96 bilhões de dólares, 13% a mais em relação ao ano anterior.
 
Produção de lixo
A quantidade diária de lixo produzida no cotidiano, bem como seu descarte incorreto prejudica, e muito, o meio ambiente. Um dos principais problemas encontrados nos oceanos hoje é a enorme quantidade de plástico, que também é responsável pela contaminação e morte de milhares de espécies de animais. Em 2017, a Organização Mundial das Nações Unidas lançou uma campanha alertando para o problema e calcula que até 2050, 99% das aves marinhas terão ingerido plástico.
 
Sistema prisional
A população carcerária no Brasil cresceu mais de três vezes entre os anos de 2000 e 2016 — estima-se que o déficit de vagas seja de 358,6 mil. Além das péssimas condições do sistema, em que as chances de se adoecer por tuberculose é 27 vezes maior na prisão do que fora dela, o racha entre o Comando Vermelho e o Primeiro Comando da Capital (PCC) tornou o ambiente prisional ainda mais violento.
 
O perfil dos encarcerados é de maioria masculina (94%), de ensino médio incompleto (36%) e de cor preta/parda (64%). A maioria dos crimes cometidos se enquadram na Lei de Drogas (28%) e em crimes contra o patrimônio. Quase metade deles (40%) estão presos sem ainda terem sido julgados.
 
Professores consultados:
Augusto Silva, coordenador da área de humanas do Curso Anglo
Mateus Godoi, professor de atualidades e geografia do Sistema Poliedro
Maria Catarina Borges, coordenadora da equipe de redação do Colégio Poliedro São José dos Campos
Patrícia Salgado, professora de História da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro
Thaís Pio, sócia do curso Excellentia, foi corretora de redações do Enem
Thiago Braga, professor de redação e atualidades do curso e colégio PH
Sérgio Paganim, coordenador da equipe de Linguagens do Curso Anglo
Vivian Pereira, professora de redação e português para concursos
 


Postado em 22/10/2018


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé