A importância do toque no processo de aprendizagem da criança
O toque é parte importante no desenvolvimento da criança, ajudando a formar a noção de indivíduo e a aprender mais sobre o ambiente à sua volta. Entenda
 
Por Luma dos Santos 
 
Toda criança explora o mundo por meio do próprio corpo e dos sentidos, especialmente nos primeiros dois anos de vida, fase que o teórico do desenvolvimento, o suíço Jean Piaget (1896-1980), chamou de sensório-motora. Basta observá-la ao brincar para termos uma ideia disso: é um tal de pegar, morder, cheirar. E quanto mais cores e barulho envolvidos na atividade, maior a atenção dedicada. Ao nascer, entretanto, os sentidos ainda não estão completamente desenvolvidos. O bebê acredita, por exemplo, que ele e a mãe são a mesma pessoa. “Digamos que ele tem uma percepção difusa do ambiente. O que para nós é colo ou leite, para ele é prazer ou conforto. Não distingue de onde vêm os estímulos, nem quem os está oferecendo”, afirma a psicanalista Vera Iaconelli, diretora do Instituto Gerar (SP). Só por volta do sexto mês, segundo a especialista, o pequeno começa a se dar conta de tudo isso – e de que ele e a mãe são corpos diferentes.
 
Nesse processo, o tato exerce um papel fundamental. Funciona assim: ao encostar no seu filho, inúmeras células receptoras encontradas na pele dele enviam sinais na forma de impulsos elétricos, que “viajam” por meio da medula espinhal para o cérebro. Ali, diferentes áreas serão ativadas e essas informações, decodificadas. Desta maneira, seu filho vai aprendendo a identificar se algo é quente ou frio, se dói, se é macio ou duro, incluindo também o que os especialistas chamam de localização espacial, ou seja, a posição dele e a de objetos e pessoas ao redor. “O toque, então, o ajuda a se descobrir e a descobrir o mundo”, resume a neuropediatra Karina.
 
Isso tem sido mostrado em inúmeros estudos, como uma pesquisa recente do Instituto de Aprendizagem e Ciências do Cérebro da Universidade de Washington (EUA). Ao analisar imagens cerebrais de bebês, os cientistas observaram que o córtex somatossensorial (área que processa estímulos relacionados ao toque) deles já é ativada por volta dos 7 meses quando são tocados nos pés, por exemplo, assim como quando observam alguém ser tocado nos pés. Isso indica que eles já têm uma noção de “si” e do “outro” desde cedo, o que, segundo os pesquisadores, é a base para a imitação e o aprendizado a partir do comportamento de outras pessoas, assim como da empatia. “Muito antes de os bebês dominarem a linguagem falada, o toque é um canal essencial de comunicação entre cuidadores e crianças”, afirmou o autor do estudo, Andrew Meltzoff, professor de psicologia e codiretor da instituição.
 
Fonte: Cresceratualizada em 25/04/2019 


Postado em 26/04/2019


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé
Facebook Youtube Instagram