5 pontos-chave do vínculo entre mãe e filho
O vínculo entre mãe filho é criado a partir do primeiro dia em que o bebê é concebido. Existem muitas formas de melhorar essa relação no decorrer da gravidez. No entanto, a principal conexão acontece sem planejamento.
 
Isso pode refletir-se em uma vida positiva ou negativa. Se o vínculo for negativo vai gerar adultos que não possuem capacidade suficiente para se desenvolver emocionalmente. A importância desse vínculo afetivo e saudável é que marca os relacionamentos que seus filhos terão no futuro.
 
É indispensável ressaltar que a mãe pode ser um ponto de referência para que o filho conquiste um potencial confiável. Com isso ele pode conseguir se tornar um adulto autônomo e capaz de realizar muitas coisas por conta própria.
 
No entanto, essa tarefa não pode recair exclusivamente nos ombros das mães. Os pais podem ajudar e também são responsáveis por reforçar esses vínculos.
 
Como esse vínculo beneficia a mãe e o filho?
Segundo alguns pesquisadores, demonstrou-se que esse vínculo ajuda tanto as mães quanto os filhos. A conexão que é estabelecida entre mãe e filho forma os adultos do futuro. Do mesmo modo, contribui com o empoderamento e a autoestima da mulher durante a maternidade.
 
Aqui estão alguns dos benefícios que esse vínculo proporciona:
  • Favorece uma conexão segura, o que estimula a autoestima dos bebês.  Cria autonomia e desenvolve a personalidade desde o começo.
  • Os pequenos passam por menos estresse e têm mais chances de sucesso na vida. Além disso, contribui para melhorar as relações interpessoais. As crianças apresentam mais facilidade para se relacionar com as outras pessoas e se mostram mais comunicativas e criativas.
  • Permite o estabelecimento de uma série de relações afetivas de qualidade. Ao mesmo tempo, prepara a criança para desenvolver uma potencial relação mais estreita. Em geral, cria-se um vínculo com a mãe, ou com a pessoa que cuida da criança e passa mais tempo ao seu lado.
Pontos-chave para desenvolver um vínculo entre mãe e filho
 
Estimular o contato pele com pele e o contato visual
Isso vai incentivar uma aproximação entre os dois, o que é importante para trazer benefícios à criança com segurança. Além disso, é preciso oferecer amor, afeto e carinho. Do mesmo modo, é muito importante se comunicar com a criança por meio do tato ou da voz, acariciando e conversando.
 
Aproveitar o momento de alimentar o bebê
Quando o bebê ainda é recém-nascido, o aleitamento materno, assim como a alimentação com a mamadeira, constitui um momento de contato íntimo. O momento de alimentar o bebê faz com que esse vínculo adquira mais força.
 
Isso permite observar as expressões faciais e sentir a linguagem corporal do pequeno. Por outro lado, proporciona ao bebê uma sensação de conforto e confiança nos braços da mamãe.
 
A hora do banho também é um bom momento para reforçar o vínculo afetivo com o bebê, sem dúvidas. Quando o bebê vai dormir ou quando precisa de consolo também são momentos fundamentais para reforçar essas conexões.
 
Colocar o bebê para dormir no mesmo quarto que a mãe
É recomendável que o bebê durma no seu próprio berço. Mas também existe a possibilidade de dividir a cama em alguns momentos com seus pais.
 
Essa prática ajuda no contato pele com pele. Mas também tem seus prós e contras, que devem ser analisados de acordo com cada caso. Escolher a opção que for mais conveniente para a família é essencial desde o começo.
 
O choro de um bebê é a sua maneira de se comunicar
É indispensável prestar atenção, ouvir e saber interpretar o choro para responder adequadamente às necessidades dos pequenos. Quando um bebê se sente cuidado, o vínculo com seus pais cresce consideravelmente.
 
Converse e cante para o bebê
Vai chegar um momento em que o bebê responderá aos sinais que você fizer. Da mesma forma, vocês podem utilizar gestos para se comunicar, como por exemplo, sorrisos e balbucio. Isso vai estimular a atenção e incentivar o vínculo de maneira positiva. No futuro, essa interação vai ter estabelecido os elementos principais da comunicação para a criança.
 
Em relação a todos esses pontos-chave é importante saber que o equilíbrio e os limites são importantes. Não se deve esquecer que a ânsia em cuidar do bebê não deve fazer com que os pais se descuidem das suas próprias necessidades. É muito mais positivo ter um equilíbrio adequado entre todos os cuidados.
 
Fonte: Sou Mamãe 


Postado em 30/04/2019


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé
Facebook Youtube Instagram