Enem na cabeça

Dividido em áreas do conhecimento em vez das tradicionais disciplinas, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) exige dos estudantes muito raciocínio. Para conseguir responder corretamente, é preciso articular o que foi assimilado durante o ano e interpretar.

– O estudante deve apurar sua leitura do mundo, ler reportagens de jornal, por exemplo, e, ficar atento a como os fatos aconteceram e quais são seus prováveis motivos – explica a Professora Roselane Costella, pesquisadora e especialista em Enem.
 
Embora as questões sejam de múltipla escolha, a correção da prova é feita com o sistema estatístico Teoria da Resposta ao Item (TRI), que analisa o desempenho do Aluno em toda a prova, considerando questões fáceis e também as difíceis.
 
– Há menos fórmulas na prova do Enem, então o Aluno tem de aprender sem decorar. Além disso, deve focar nas questões mais simples primeiro – afirma o pesquisador e consultor da Fundação Cesgranrio, Ruben Klein.
 
Para ter sucesso na avaliação, os Alunos devem organizar seu tempo, fazer simulados e estar bem por dentro dos assuntos que têm mais probabilidade de cair na prova.
 
Nesse sentido, a candidata a Direito na UFSC Giselle Piucco Braviano, 17 anos, está indo pelo caminho certo. A aluna do cursinho Gaia, de Florianópolis, acredita que o Enem pode ser uma ajuda na conquista pela vaga no curso de Direito na Universidade Federal. Por isso, ela aposta em simulados, treina a redação e fica ligada aos assuntos de atualidades. Giselle também pretende desenvolver as habilidades de resistência e concentração.
 
– Muitas respostas estão no próprio texto apresentado. É preciso estar atento em cada linha – reforça a candidata.
 
A próxima edição do Enem está marcada para os dias 3 e 4 de novembro. O caderno Vestibular elaborou um manual para auxiliar os estudantes que têm o exame como principal forma de ingresso na universidade ou como um apoio para conquistar a vaga que tanto desejam.
 
Para vencer o ENEM
 
Uma prova com estilo próprio. O Exame Nacional do Ensino médio (Enem) trabalha a interdisciplinaridade e áreas que, normalmente, não são cobradas nos vestibulares tradicionais.O diretor pedagógico do cursinho pré-vestibular Gaia, de Florianópolis, Eduardo Breviglieri, explica que para se dar bem no Enem, o Aluno deve dominar aspectos de filosofia, sociologia, história da arte e até questões relacionadas aos movimentos corporais e à Educação física. Também são exigidas algumas habilidades específicas.
 
A pesquisadora do Enem Roselane Zordan Costella complementa que essas capacidades representam processos mentais de aprendizagem que, muitas vezes, o Aluno desenvolve sem se dar conta.
 
– Na prova do Enem são cobradas inúmeras habilidades que, quando articuladas pelos Alunos, os tornam competentes para lidar com os conteúdos.
 
Entre as mais importantes estão ler com competência, interpretar, saber defender um ponto de vista, argumentar e pensar nas propostas dadas. Mesmo assim, para o diretor pedagógico Breviglieri, no dia a dia de estudos é preciso desenvolver resistência para se manter a concentração na prova, que é longa.
 
– Não adianta treinar 100 metros sempre e, no final, do ano, querer correr uma maratona. Um Aluno que estuda só 15 minutos pode ter dificuldade de ficar focado por períodos mais prolongados.
 
O lado bom é que o exame não é muito das “decorebas”. Apesar de ainda cobrar alguns detalhes das matérias, dificilmente será solicitado que o Aluno diga o número de articulações da pata de algum inseto, como brinca o Professor.
 
O Enem tem adquirido um peso grande nos processos seletivos do país e, em algumas instituições, é o único critério de ingresso. Segundo especialistas, a política de cotas aprovada pela presidente Dilma Rousseff na semana passada – reservando 50% das vagas para estudantes de Escolas públicas e estabelecendo o Enem como recurso no preenchimento das colocações – reforça a importância do exame.
 
Para Eduardo, ao exigir uma visão diferenciada, a prova pode contribuir para que os Alunos fiquem mais críticos e antenados. Aos desesperados com a avaliação de novembro, um conforto.
 
– Se o Aluno estiver bem preparado para os vestibulares tradicionais, como da UFSC e tiver esses complementos, vai se sair bem.
 
Habilidades importantes
 
- Interpretar
- Ler com competência
- Saber defender um ponto de vista
- Argumentar
- Pensar nas propostas dadas
- Resolver situações consideradas problema
- Administrar o tempo
- Aplicar conceitos em situações cotidianas
 
Entenda a nota
 
A correção das questões objetivas do Enem é feita da maneira usual, no entanto, a atribuição das notas nas provas é feita a partir de uma teoria matemática chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI). Esse método estatístico modela, para cada questão, a probabilidade do Aluno acertar o item em função de sua proficiência.
 
No modelo utilizado, o resultado final não será igual ao número de respostas corretas, com uma simples soma, como ocorre em muitos vestibulares. Os itens têm “pesos” diferentes e, por isso, dois Alunos com o mesmo número de acertos podem ter notas diferentes.
 
O modelo da TRI utilizado leva em conta a consistência das respostas, isto é, o padrão de resposta do Aluno. Não faz sentido o Aluno acertar algumas questões difíceis e errar as fáceis.
 
Fonte: Diário Catarinense (SC)


Postado em 04/09/2012


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé