O que esperar da tecnologia em 2013

Internet, tablets, astronomia, ciência, energia...Mundo reserva gratas surpresas para o ano que vem

por Redação Galileu
 
Como você deve desconfiar, o ano que vem será mais avançado tecnologicamente do que esse. A GALILEU preparou uma lista com 5 tendências (lançamentos, novidades) que vão fazer parte do noticiário – e das nossas vidas – ano que vem. Antecipe-se e entenda como será o mundo em 2013 (pelo menos uma parte dele). 
 
Touchscreen massificado: e-books e tablets não serão mais coisa de hipster/rico  
 
O Kindle está vindo aí. Ele deve chegar aos 45 do 2º tempo de 2012 no Brasil, mas começaremos a ver o pessoal usando ele por aí só em 2013. Mas os especialistas acreditam que 2013 será o ano dos tablets e e-books no mundo inteiro, não só por aqui. 
 
O iPod demorou 3 anos pra virar o mp3 player definitivo. Pra decolar, o laptop levou o mesmo tanto de tempo. E adivinha em que ano o iPad foi lançado? Pois é. Mas não se trata de superstição. Essa coincidência muito provavelmente se explica pelo fator econômico: por algum motivo, três é o número de anos que os produtos comerciais de vanguarda precisam até atingirem um preço que permita que ele seja popularizado globalmente e por diferentes faixas etárias e classes sociais. O computador doméstico como conhecemos já era (faz tempo, veja o próximo item da lista). Pouco a pouco vamos entendendo como nossos tataranetos irão lidar com a tecnologia. 
 
Internet na rua como em casa: o 4G vem aí
 
Desde que a internet surgiu, seu potencial ainda não foi totalmente explorado. Ela nasceu para conectar os computadores do mundo, permitindo o compartilhamento de todos os tipos de arquivos imagináveis em uma enorme rede. Certo, isso já conseguimos. Mas, tão importante quanto o compartilhamento, é a mobilidade. A popularização dos smartphones é um começo, mas talvez seja apenas a pré-História: todo mundo sabe que a experiência de ficar online em um desses aparelhos nem se compara a de usar um computador. Com a chegada do 4G, a internet pode (quem diria!) finalmente dizer a que veio. 
 
Há quem diga que o 4G fará com a internet o que o celular fez para a telefonia. As pessoas terão uma conexão de altíssima velocidade na palma da mão: será possível assistir vídeos em HD e ouvir música direto da internet (de uma só vez, sem que fique travando o tempo todo) e até baixar filmes. Se a nossa internet for tão rápida quanto a dos EUA (10Mbps), um filme poderá ser baixado em um minuto. Essa velocidade é 10 vezes maior que a do 3G que a gente está acostumado a usar. 
 
Dando um gás: a energia alternativa será mainstream
 
O gás natural vai ganhar cada vez mais espaço. Apesar dos especialistas garantirem que ele já é o modelo de energia de mais sucesso, o fato é que ele ainda deslanchou como poderia. Uma comparação com o petróleo, ainda sem levar em conta as óbvias vantagens ambientais, deixa esse potencial bem claro. Historicamente, o gás é 10 vezes mais barato que o petróleo – em alguns momentos chega a ser até 35 vezes mais em conta. 
 
O que faz esse tipo de energia ser tão barato é a evolução tecnológica em torno da sua exploração. Os avanços científicos permitiram que máquinas retirassem o gás do xisto, rocha metamórfica que costuma ser uma boa fonte dessa matriz energética, com muito mais facilidade. O preço caiu porque havia muita oferta e pouca demanda, mas isso deve mudar. Não há consenso se o preço dele irá cair, subir ou manter-se estável. Mas, entre os investidores do mundo inteiro, há uma certeza : 2013 será o ano do gás. 
 
A China tem pressa: país será o maior pólo científico do planeta
 
Quando você lê as matérias da GALILEU, já deve ter reparado que quase sempre nossas fontes ou as pesquisas citadas aqui são de universidades americanas. Na GALILEU ou em qualquer outra publicação de tecnologia e ciência que você topar por aí. Isso porque os EUA são o país que mais produzem pesquisas, experimentos, estudos, artigos e quaisquer outros termos que sejam seguidos da palavra “científicos”. Mas essa hegemonia está com os dias contados. A partir de 2013, a China será o país que mais investirá na ciência do mundo. 
 
Em 2004, a China ultrapassou o Reino Unido, alcançando o segundo lugar do pódium. As implicações dessa eminente troca de liderança são muitas. Dominar a ciência é só mais um jeito de se impor perante as outras nações, é mais um sinal de que a economia, a educação, o esporte, e vários outros elementos também estão indo muito bem. Pra se ter uma ideia de como a China evoluiu nesse aspecto, basta lembrar que em 1996 os EUA publicaram 292.513 artigos científicos, contra 25.474 dos chineses. A previsão era de que essa troca acontecesse só em 2020 mas, como tem sido característico da China pós-queda do Muro, eles estão um pouquinho apressados. 
 
Em 2013, seremos menos míopes. A Agência Espacial Europeia reservou o mês de outubro do ano que vem para o lançamento de um projeto ambicioso. Sabe o CENSO, quando um pesquisador do governo vai até sua casa perguntar tudo sobre sua vida? Eles querem fazer isso com a Via Láctea. Batizada de Gaia, a iniciativa irá catalogar 1 bilhão de estrelas, ou 1% do total da Via Láctea. Menos que o CENSO, mas considerando o tamanho de uma galáxia, até que tá bom, né? 
 
Além de medir as posições, distâncias, movimentos e mudanças no brilho das estrelas, a ideia que milhões de novos corpos celestes sejam descobertos. Planetas até então desconhecidos também podem aparecer – tudo é possível, tendo em vista que nunca enxergamos tão bem assim. A teoria da relatividade de Albert Einstein deverá passar por uma prova de fogo e asteróides com potencial ameaçador para nosso planeta poderão ser detectados com antecedência. É ver para crer. 
 
Fonte: Revista Galileu 


Postado em 26/12/2012


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé