Brincar é coisa muito séria
A importância do brinquedo na saúde e na educação
 
O ser humano brinca desde os primeiros meses de vida. Se alguma vez você observou um bebê bem novinho, com meses ou até mesmo semanas de vida, com certeza percebeu que, no início, ele interage com o próprio corpo, movimenta pernas e braços. Mais tarde, passa a se relacionar com objetos e outras pessoas. "Podemos considerar também que os bebês, ainda na barriga da mãe, têm suas brincadeiras, como chupar o polegar, por exemplo", afirma Dráuzio Viegas, pediatra e professor titular da pediatria da faculdade de Medicina do ABC.
 
Você já ouviu falar das brinquedotecas? São espaços especiais onde as crianças brincam livremente e recebem o carinho, dedicação e apoio de profissionais. Lá existem muitos brinquedos e jogos educativos para que os pequenos aproveitem bastante. Nos hospitais, as brinquedotecas ajudam no diagnóstico e no tratamento das doenças. "A criança, na brinquedoteca, brinca de dar injeção no boneco, veste-se de enfermeira e, assim, aceita melhor o tratamento", disse Dráuzio Viegas. “As brinquedotecas oferecem um ambiente mais tranqüilizador e dão oportunidade de as crianças fazerem amizade enquanto estão em tratamento”.
 
Veja um dado interessante que Dráuzio Viegas apresentou: todas as crianças com câncer que freqüentaram brinquedotecas no Instituto de Oncologia Pediátrica (SP) em 2001 aceitaram fazer o tratamento direitinho. Dez anos antes, quando os espaços de brincadeira não existiam nos hospitais, apenas 29% das crianças com câncer aderiam ao tratamento!O médico ressaltou a importância das atividades lúdicas (brincadeiras) para as crianças internadas em hospitais. Ele afirma que brincar melhora a qualidade de vida, mas não há comprovação científica de que a brincadeira aumenta o tempo de vida de crianças com câncer ou com outra doença grave.
 
Lei obriga hospitais a instalarem brinquedotecas
 O seminário de que falamos debateu os efeitos da Lei 1104/05, aprovada em março de 2005, que obriga hospitais públicos e privados do Brasil a instalarem espaços de brincadeiras para as crianças internadas. A lei teve origem num projeto de autoria da deputada Luiza Erundina (PSB-SP). Em entrevista ao Plenarinho, a parlamentar disse que a lei é uma vitória das nossas crianças. “Agora, quando estiverem internadas, elas receberão um atendimento mais humanizado e poderão até se restabelecer e sair do hospital mais rápido”, declarou. Ursinho vestido de enfermeiro
Aprendizado
 
Edu Coruja e Légis brincando de super heróisCada tipo de brincadeira tem sua importância. "O faz-de-conta estimula a criança a lidar com muitas questões, pois ela comanda a história", diz a professora Edda Bontempo, pesquisadora de brinquedos do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. As brincadeiras de casinha ajudam no aprendizado dos papéis familiares, as de médico e professor estabelecem a importância das profissões. Já andar de bicicleta ajuda a desenvolver o senso de orientação espacial e a coordenação motora.
 
A professora Nylse Helena da Silva Cunha, presidente da Associação Brasileira de Brinquedotecas (ABBri), explica que, quando brincam em grupo, as crianças aprendem a pedir emprestado e a respeitar os outros, por exemplo. No seminário, ela destacou a importância dos espaços de brincadeira para dar oportunidade de a criança "mergulhar" em seu brinquedo sem cobrança de desempenho e sem adulto para atrapalhar. Para a especialista, alimentar a inteligência e a criatividade da criança com a brincadeira é tão importante quanto alimentar o corpo com comida.
 
De acordo com Sandra Kraft do Nascimento, da Associação Brasileira de Brinquedoteca, durante a brincadeira, é possível observar a capacidade de memorização da criança, suas ansiedades e medos, sua forma de lidar com o erro, seu nível de atenção, coordenação e equilíbrio nas atividades. “As crianças dizem muito enquanto brincam”, afirmou. Até as dificuldades e facilidades de aprendizado da criança podem aparecer enquanto ela brinca!
 
História do brinquedo
A história do brinquedo é tão antiga quanto a história do homem! Acredita? Pois é, turma, muitos brinquedos que existem hoje nasceram nas grandes civilizações antigas, e vários deles permaneceram inalterados ao longo do tempo. Confira: Do Egito, herdamos o jogo-da-velha, boneca e as bolinhas de gude. Da China, o dominó, os cata-ventos e as pipas. Da Grécia e da Roma, vieram as pernas-de-pau e as marionetes.
 
A viagem pela história dos brinquedos nos permite percorrer culturas, estilos, modos de vida, regras sociais, uso de materiais e ferramentas, relações pessoais. É uma história recheada de curiosidades, inventores criativos, brinquedos que fazem sucesso e fábricas que lutam para se aperfeiçoar. 
 
Originalmente, os brinquedos de todos os povos são originários da indústria doméstica, daquela que se constituía em pequena escala e atendia às necessidades particulares. Uma indústria que não acabou e que até hoje se desenvolve é a dos brinquedos artesanais.
 
Xereta abraça seu ursinho
 Outra coisa legal é que os brinquedos oferecem possibilidades de experiências variadas, dependendo do material de que forem fabricados - madeira, espuma, ferro, pano ou vinil -; da forma ou do desenho - bonecas bebês ou adultas -; do aspecto tátil (relativo ao toque, ao tato) - bichos de pelúcia ou de borracha -; da cor - panelinhas cor-de-rosa ou pretas; do cheiro e dos sons que porventura emitem. 
 
Outras curiosidades
 
Bonecas
Unanimidade entre as meninas, as bonecas, até 1930, eram confeccionadas com pano, por costureiras e artesãos. Aos poucos, as bonecas artesanais foram substituídas pelas mais modernas, que cantam, dançam, andam de patins e bicicleta, choram, dormem...
 
Carrinhos
Feitos de madeira, os primeiros carrinhos surgiram junto Adão brinca com seu carrinhocom os automóveis de verdade criados pela indústria Renault, nos primeiros anos do século XX. Com o passar dos tempos, o material utilizado para a fabricação dos carrinhos mudou, e muito! Hoje eles são feitos de plástico, metal ou acrílico, têm controles moderníssimos, mas os tradicionais carrinhos de madeira ainda podem ser encontrados, dividindo o espaço nas prateleiras das lojas com carrinhos de última geração. 
 
Bolas
Se as bonecas são unanimidade entre as meninas, a bola não é diferente entre os meninos. É o brinquedo mais antigo do mundo e existe há mais de 6.500 anos. As Zé Plenarinho joga bolaprimeiras bolas eram feitas com crinas de animais ou fibras de bambu. A bola de futebol ficou conhecida popularmente no Brasil a partir de 1894, quando Charles Miller trouxe para o País as regras do jogo.
 
Bichinhos de pelúcia
Fofinhos, macios e gostosos de abraçar, os ursinhos de pelúcia conquistam adultos e crianças com sua simpatia. O primeiro bicho de pelúcia foi criado na Alemanha, em 1903, e se chamava Teddy Bear. Depois dele, inúmeros bichinhos começaram a ser fabricados pelo mundo.  
Garantia de segurança
 
Selo do Inmetro
No Brasil, todo brinquedo comercializado deve ter o selo do Inmetro. Você sabia? Para isso, é necessário que ele seja testado pelo Instituto da Qualidade do Brinquedo e de Artigos Infantis (IQB), pelo Instituto Falcão Bauer da Qualidade (IFBQ) ou pelo Instituto Brasileiro de Certificação (IBC). Essas entidades analisam se o brinquedo está dentro das normas de qualidade: se o material não é tóxico (se não contamina ou envenena), se não tem peças que possam ser engolidas, se não machucam...
 
Cabe às indústrias seguirem as normas para produzir brinquedos seguros e imprimirem as recomendações de uso nas embalagens, assim como cabe aos responsáveis pela criança seguir as instruções e vigiar a brincadeira.
 
Monte os seus brinquedos
Depois dessa conversa toda sobre brinquedos, você deve ter ficado com vontade de brincar, né? Então, que tal começar a montar e brincar agora mesmo?
 


Postado em 27/08/2013


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé