Educação Financeira: lição de casa para pais e filhos
Nos países desenvolvidos, a educação financeira cabe às famílias, ficando para as escolas a função de sistematizar as informações que vem de casa. No Brasil, a educação financeira não faz parte do universo familiar e, infelizmente, muitos pais ainda acreditam que dinheiro não é assunto de criança. Nas escolas o tema vem crescendo dentro da transversalidade curricular ou dentro de programas piloto. 
 
Enquanto o tema tenta atingir sua maturidade, podemos exercitar a conversa sobre educação financeira entre pais e filhos e ou na escola encarando o dinheiro como um passaporte para uma vida confortável, e não como um assunto que aborrece, causa transtorno ou culpa. 
 
Alguns conceitos são importantes para desmistificar esse assunto: 
  • Mantenha seus filhos informados sobre os assuntos financeiros da casa. Eles estão sempre muito antenados a cada atitude dos seus pais, procure desenvolver a inteligência financeira deles através de conversas informais, usando sempre uma linguagem clara e acessível;
  • Compare valores mostrando a relação custo-benefício. Fale da importância de poupar e dos perigos do consumismo, sempre dentro de um clima agradável e respeitando a idade de cada um;
  • Boa quantidade dos problemas de dívidas advém em função dos gastos superarem os ganhos mensais. Estabelecer a diferença do que é caro e do que é barato. O simples fato de usar tais expressões na presença de seus filhos já é o bastante para mais adiante saber distinguir se aquele objeto vale realmente o preço que tem;
  • A mesada é uma boa iniciativa. É um instrumento poderoso para ensinar o seu filho a entender que o sucesso financeiro não é a quantidade de dinheiro que se recebe, mas o controle do que se gasta. O mais importante é saber lidar com o dinheiro;
  • Comprar por desejo e comprar por necessidade tem diferença principalmente no bolso. Ser capaz de distinguir o que compramos porque queremos daquilo que consumimos porque precisamos. Elimine o supérfluo do dia a dia da sua família.
Enfim, a alfabetização financeira deve ser um processo permanente, sem hora para começar e nem para acabar. Nossa sociedade precisa amadurecer no sentido da importância de se ter um planejamento financeiro e também entender mais sobre finanças pessoais. 
 
Organizar as contas pessoais e da família entre outras estratégias é um caminho para a tranquilidade e o bem estar futuro. Quanto mais cedo nossas crianças começarem a criar esse hábito de conversar sobre dinheiro em casa ou na escola, mais chances de termos uma sociedade saudável financeiramente. 
 
O assunto dinheiro não deve ser encarado como um aborrecimento, não ter dinheiro suficiente sim, aborrece!
 
Fonte: ExpoMoney


Postado em 29/08/2013


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé