Literatura: 18 dicas de livros para quem gosta de levar sustos
Uma seleção de histórias cheia de terror, suspense e mistério para aterrorizar até o mais valente dos leitores
 
por Bruna Nicolielo 
 
Vampiros, fantasmas, casas mal-assombradas e pactos com o Coisa-Ruim. O universo das histórias de terror causa calafrios, mas é cativante. Pudera! Quando as primeiras páginas de um livro enunciam "foi numa noite de tempestade, à meia-noite", por exemplo, o leitor é desafiado a mergulhar em um mundo secreto e misterioso. "Obras do gênero atraem porque nos permitem viver, com segurança, experiências que não gostaríamos de ter na vida real", diz o escritor Braulio Tavares, estudioso da literatura fantástica. Mas por que, afinal, alguém gostaria de ter experiências desse tipo? Na Antiguidade, o filósofo grego Aristóteles (384-322 a.C.) já tentava responder esse aparente paradoxo. Ele dizia que buscamos o medo da ficção para experimentar, depois, o alívio de saber que estamos a salvo na vida real.
 
O interesse por narrativas que fazem um bom uso desse sentimento ancestral vem de longa data. "A emoção mais antiga e mais forte da humanidade é o medo, e o mais antigo e mais forte de todos os medos é o medo do desconhecido", escreveu o escritor norte-americano H. P. Lovecraft (1890-1937) no livro O Horror Sobrenatural na Literatura (Ed. Iluminuras). O conto de terror começou a fazer sucesso durante a Revolução Industrial, no século XIX. Escritores como a britânica Mary Shelley (1797-1851), autora de Frankenstein, criaram narrativas que questionavam a mentalidade de sua época, em que dominava a crença quase cega na ciência e no progresso técnico.
 
Desde então, os principais autores de terror souberam captar as tensões e os medos de sua época, produzindo textos que refletem o contexto histórico em que vivem. Assim, mudaram os temas, os espaços e até o nível de violência tolerado. "A boa literatura é justamente aquela que identifica esses pavores, trazendo-os de modo realista ou alegórico para o terreno da ficção", diz Júlio França, professor de Teoria da Literatura da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e coordenador do Grupo de Estudos sobre o Medo como Prazer Estético, da mesma instituição.
 
Educação emocional
 
A leitura de narrativas de terror fortalece nossas emoções. Quem lê obras assim convive bem com o medo e aprende a controlá-lo melhor. "Nos livros, temos a consciência da vulnerabilidade da vida, dos perigos à espreita. Isso pode ajudar a encarar as diversas facetas da vida", diz a escritora Heloisa Prieto, ela própria autora de mais 20 obras do gênero e uma fã assumida das narrativas assustadoras. 
 
Não há uma idade considerada adequada para iniciar a leitura de obras do gênero. Afinal, temas recorrentes desse universo, como a morte, a dor e a perda, devem estar presentes no processo de formação dos jovens. Apesar disso, algumas obras exigem leitores um pouco mais maduros, que sejam capazes, por exemplo, de distinguir a realidade da ficção. "Os mais novos devem ser poupados de narrativas com violência física e mental", diz Tavares. Histórias de bruxas amáveis e monstrinhos divertidos ajudam a fazem a transição para narrativas que mostram personagens realmente malignas e ameaçadoras. No mais, vale o mesmo de qualquer gênero literário: é preciso respeitar as escolhas do adolescente, evitando a censura de livros considerados assustadores ou agressivos demais. "Quando um adulto faz isso, priva o jovem de uma elaboração sobre a necessidade de atenção plena e cautela", diz Heloisa.
 
A seguir, você confere indicações de histórias de arrepiar os cabelos, todas voltadas para adolescentes. A seleção foi realizada com a ajuda dos especialistas citados na reportagem e contempla de clássicos universais à obra de novos autores, de narrativas fantasmagóricas a lendas urbanas e históricas, de ficção cientifica a enredos com psicopatas e serial-killers.
 
1. Contos de Fantasmas
O escritor inglês Daniel Defoe (1660-1731), autor também de As Aventuras de Robinson Crusoé (Ed. L& PM Editores) acreditava piamente na reencarnação. Essa crença motivou este volume, baseado em entrevistas e relatos conhecidos. O livro é dividido em duas partes: Fantasmas Falsos e Aventuras Divertidas, com contos fictícios sobre o mesmo tema e Histórias Verdadeiras de Fantasmas (que o autor jura serem mesmo fiéis à realidade). Narrativas arrepiantes, como A Aparição da Senhora Veal e O Fantasma em Todos os Cômodos, são verdadeiras, segundo Defoe. 
Contos de Fantasmas, Daniel Defoe, 128 págs., Ed. L&PM Editores.
 
2. Drácula
A partir de lendas do Leste Europeu e de um personagem real (um príncipe conhecido por ter torturado e matado cerca de 40 mil pessoas), o irlandês Bram Stoker (1847-1912) criou uma das mais conhecidas narrativas de terror do mundo. Num castelo isolado na Transilvânia, Romênia, um jovem é mantido em cativeiro. Longe dali, na Inglaterra, sua bela noiva é vítima de uma terrível e desconhecida doença, que extrai sangue de seu corpo. O algoz de ambos é o Conde Drácula, um vampiro cruel e sanguinário. 
Drácula, Bram Stoker, 450 págs., Ed. Martin Claret. 
 
3. Frankenstein
Na obra da britânica Mary Shelley (1797-1851), Victor Frankenstein é um estudante de Ciências Naturais que constrói em seu laboratório um monstro de aparência terrível, produzido a partir de pedaços de cadáveres. A criatura foge ao controle do seu criador, aterrorizando o pobre homem e seus familiares, e conduz o leitor numa narrativa de forte tensão psicológica.
Frankenstein, Mary Shelley, 256 págs., Ed. L&PM Editores
 
4. O Médico e o Monstro
Robert Louis Stevenson (1850-1894) - autor de clássicos como A Ilha do Tesouro - dá vida à Dr. Henry Jekyll, um respeitável médico. Usando uma poção, Jekyll se transforma num sujeito perigoso chamado Hyde, sob cuja personalidade comete uma série de crimes. Durante algum tempo, é capaz de retomar a personalidade original, mas a melhor parte de sua personalidade se enfraquece gradualmente até que a poção que lhe permite voltar a ser um homem bondoso falha. Por fim, ele se envenena quando está prestes a ser desmascarado. 
O Médico e o Monstro, Robert Louis Stevenson, 112 págs., Ed. L&PM Editores. 
 
5. A Tumba e Outras Histórias
Compilação de narrativas do norte-americano H. P. Lovecraft (1890-1937), um dos ícones do gênero. O conto que dá nome ao volume é um aterrorizante relato sobre um jovem que encontra um túmulo abandonado e passa a visitá-lo periodicamente. Outra história, Entre as paredes de Eryx, traz uma eletrizante ficção científica que se passa em Vênus. Todas as narrativas são repletas de elementos folclóricos, sobrenaturais e religiosos, marcas que caracterizam a obra de Lovecraft.
A Tumba e Outras Histórias, H.P. Lovercraft, 216 págs., Ed. L&PM Editores, tel. (51) 3225-5777, 16 reais
 
6. O Corvo
Edgar Allan Poe (1809-1849) dominava como poucos as técnicas narrativas cujo efeito são criar medo. Seu poema mais conhecido, que já ganhou versões de Fernando Pessoa (1888-1935) e Machado de Assis (1839-1908), contém os elementos que o transformaram em uma referência no gênero. Tarde da noite, um homem recebe a visita de um pássaro assustador. Seria apenas uma ave ou o fantasma de sua amada, Lenora? Ótima opção para uma primeira aproximação com o autor.
O Corvo, Edgar Allan Poe, 71 págs., Ed. Melhoramentos.
 
7. Contos de Terror e Mistério
Edição bilíngue com quatro contos de Edgar Allan Poe (A Caixa Retangular, O Último Pulo do Sapo, O Gato Preto e Os Crimes da Rua Morgue). A tradução faz adaptações e atualiza algumas expressões - os textos foram escritos no século XIX -- mas preserva o ritmo e a qualidade literária próprias do autor. 
Contos de Terror e Mistério, Edgar Allan Poe, tradução e adaptação de Telma Guimarães, 108 págs., Ed. do Brasil.
 
8. Abarat
Candy Quackenbush deixa sua cidade natal para conhecer o arquipélago de Abarat, um arquipélago povoado por estranhas criaturas. Lá, desperta o interesse de Cristóvão Carniça, que tenta capturá-la. A jovem, então, embarca numa jornada turbulenta, que revela estranhos segredos sobre a vida e sobre ela própria. O autor da obra, Clive Baker, é um escritor e dramaturgo inglês que se tornou conhecido a partir da década de 1980 por livros repletos de violência e fartas doses de sangue.
Abarat, Clive Baker, 440 págs, Ed. Cia das Letras. 
 
9. O Iluminado
O pequeno Danny Torrance é capaz de ouvir pensamentos e prever o futuro, entre outras façanhas. Seu pai, o desemprego e alcóolatra Jack, aceita trabalhar como zelador do hotel Overlook e a família se muda para o local. Mas o local não é exatamente um idílico resort nas montanhas. E os poderes de Danny serão fundamentais para livrar essa família da maldição que assola o estabelecimento. Narrativa eletrizante e cheia de suspense, que catapultou o norte-americano Stephen King para a fama e virou filme na década de 1980. 
O Iluminado, Stephen King, 264 págs., Ed. Objetiva.
 
10. Sombras da Noite
Alguns dos mais inquietantes contos de Stephen King estão reunidos neste volume, entre eles O Homem do Cortador de Grama, Às Vezes Eles Voltam e A Máquina de Passar Roupa. São relatos de acontecimentos extraordinários e bizarros, que ocorrem em cenários acima de qualquer suspeita, como um colégio, uma lanchonete de rodoviária ou uma lavanderia. 
Sombras da Noite, Stephen King, 416 págs., Ed. Objetiva
 
11. Sandman
Mesclando mitologia e um enredo sombrio, Sandman foi um marco no mundo das histórias em quadrinhos. Tanto que, na década de 1990, ganhou vários prêmios Will Eisner - o Oscar da categoria. A série conta a história de Morfeus, o senhor do Mundo dos Sonhos, a terra para onde vamos quando dormimos. Além disso, ele controla os sonhos da humanidade. Até que é capturado por uma ordem mística, deixando o Mundo dos Sonhos abandonado - e os sonhadores, totalmente desamparados.
Sandman, Neil Gaiman, 616 págs., Ed. Panini.
 
12. 13 Contos de Medo e Arrepios
Os 13 contos do livro mesclam características da atualidade a elementos típicos de tradicionais histórias de horror. Os personagens das narrativas, por exemplo, vivem em áreas urbanizadas e padecem de problemas do mundo moderno, mas são assombrados por fantasmas. Isso produz contos interessantes, como A Noiva Suicida. Ele narra as desventuras de uma mulher que, tempos depois de ser abandonada na igreja, morre ao cair de um prédio e passa a assustar noivos fujões. Em O Sofá, moradores de uma favela ganham um móvel que traz terríveis pesadelos a todos. Destaque para os poemas selecionados de Augusto dos Anjos (1884-1914), que abrem todas as histórias e acrescentam uma atmosfera de mais terror ao texto. 
13 Contos de Medos e Arrepios, Almir Correia, 88 págs., Ed. Noovha. América.
 
13. Contos de Horror; Histórias Para (Não) Ler a Noite
O volume reúne histórias arrepiantes de autores consagrados, como Poe, do inglês Charles Dickens (1812-1870) e o escocês Arthur Conan Doyle (1859-1930), entre outros. Notas explicativas em cada texto dão informações sobre o contexto histórico e cultural de cada época.
Contos de Horror; Histórias Para (Não) Ler a Noite, Martha Argel e Rosana Rios (org.), 112 págs., Ed. Farol Literário. 
 
14. Contos Clássicos de Vampiro
É alucinado pelo universo da série Crepúsculo? Então é provável que você goste desta antologia, que reúne clássicos textos sobre vampiros e seu universo de estacas e alho. Obras do alemão Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832) e do inglês Lord Byron (1788-1824), por exemplo, compõem o volume.
Contos Clássicos de Vampiro, Bruno Costa (org.), 266 págs., Ed. Hedra.
 
15. Os Melhores Contos de Medo, Horror e Morte
Antologia dividida em duas partes. A primeira - Medo, Susto e Horror - contém clássicos de Edgar Allan Poe e Bram Stoker. Já a segunda - Medo, Clima e Cotidiano - mescla histórias em que o menos aparece de maneira menos tradicional, com textos do francês Gustave Flaubert (1821-1880) e do brasileiro Machado de Assis (1908-1939). 
Os Melhores Contos de Medo, Horror e Morte, Flávio Moreira da Costa (org.), 552 págs., Ed. Nova Fronteira.
 
16. Contos Macabros - 13 Histórias Sinistras da Literatura Brasileira
Reúne histórias que circularam originalmente em jornais e folhetins de forte apelo popular, escritas por grandes nomes da literatura nacional, como Machado de Assis, Lima Barreto (1881-1922) e Álvares de Azevedo (1831-1852). Os textos, ordenados cronologicamente, assombram o leitor com enredos envolvendo fantasmas, pessoas em seu leito de morte e torturas.
Contos Macabros - 13 Histórias Sinistras da Literatura Brasileira, Lainister de Oliveira Esteves (org.). 256 págs., Ed. Escrita Fina.
 
17. Páginas de Sombra - Contos Fantásticos Brasileiros
Carlos Drummond de Andrade (1920-1987), Murilo Rubião (1916-1991), Heloisa Seixas, Lygia Fagundes Telles e Orígenes Lessa (1903-1986), entre outros, estão nesta coletânea, que traz uma seleção de 16 histórias fantásticas escritas por mestres da literatura brasileira. No conto Flor, Telefone e Moça, por exemplo, Drummond mistura almas penadas e tecnologia. Já o texto A Gargalhada, de Orígenes Lessa, relata a história da risada sinistra e irônica que assola uma cidade. Cada conto é antecedido por uma explicação sobre o autor e seu contexto.
Páginas de Sombra: Contos Fantásticos Brasileiros, Braulio Tavares, 168 págs., Ed. Casa da Palavra.
 
18. A Loira do Banheiro e Outras Histórias
A história da loira do banheiro é um dos 19 contos dessa coletânea, que reúne ainda outras lendas urbanas, mitos e narrativas curtas. Um bloco da antologia - Medos Inquietantes - têm relatos instigantes que discutem a morte, a perda, a violência e medo, reais ou imaginários. 
A Loira do Banheiro e Outras Histórias, Heloisa Prieto, 120 págs., Ed. Ática.
 


Postado em 17/10/2013


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé