Enem confirma perfil interdisciplinar, dizem professores
Avaliação da maioria dos professores de cursinhos é de que prova foi bem elaborada,
com nível médio e textos curtos
  
Guilherme Soares Dias, Juliana Diógenes e Luisa Roig Martins - Especial para o Estado
 
A tendência de relacionar conteúdos do ensino médio com a realidade dos alunos se confirmou no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013, segundo os coordenadores dos principais cursinhos ouvidos pelo Estadão.com. De acordo com eles, a prova foi bem elaborada, com nível médio, textos curtos e se confirmou como “grande vestibular”.
 
Para o diretor do Cursinho da Poli, Gilberto Alvarez, conhecido como professor “Giba”, a prova do Enem mostra a tendência de interdisciplinariedade do exame. “Caiu desde ampliação de direitos a questões sobre indígenas. Na prova de Exatas, também caíram questões que relacionam os conteúdos ao dia a dia do aluno”, afirma. Alvarez lembra que prova não é “conteudista” e exige que o aluno consiga entender os problemas atuais.
 
O diretor da Poli ressalta que a prova trouxe textos curtos, facilitando a compreensão do aluno. “Os enunciados eram fáceis, com referência bibliográficas recentes e linguagem rotineira do cotidiano”, diz. Para ele, o Enem está buscando equilíbrio entre conteúdo e relação com o dia a dia. “A dificuldade é que as escolas não orientam o aluno a fazer isso”, considera. Giba ainda ressalta que, nos simulados, quando é cobrado história recente, o número de erros é grande. “O aluno pode até ter ouvido falar, mas não assimila o conteúdo”, diz. Ele conclui avaliando que a prova foi bem elaborada. “Busca sujeito mais crítico, que consegue interpretar a realidade, seja leitor e estudioso".
 
Para o coordenador geral do Anglo Vestibulares, Luís Ricardo Arruda, as provas de Química e Física estavam bastante difíceis. Segundo ele, caberia pedir anulação da questão 87 - no caderno branco - de Química, pois o enunciado trata por "sulfato de alumínio" o que, na verdade, seria "hidróxido de alumínio". Ainda na mesma questão, de acordo com o coordenador, há um erro na opção “a”, onde se lê "flotação". O correto, segundo ele, é "floculação". "O aluno até acerta, mas é um descaso", diz Arruda.
 
Prova elaborada. Questões bem feitas e de nível médio. Assim resumiu o coordenador do Cursinho Etapa, Marcelos Dias Carvalho, a prova do Enem neste primeiro dia. Para ele, o Enem 2013 foi bem elaborado e criou uma identidade forte, firmando-se como um grande vestibular e atendendo as exigências das universidades federais. "O Enem já vem nessa crescente e agora virou um modelo que se aproxima mais ainda da prova da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest)", diz Carvalho.
 
A prova de Física, segundo Carvalho, aumentou o grau de dificuldade em relação aos anos anteriores por exigir cálculos e também domínio dos conceitos. Os assuntos estavam bem distribuídos com tendência para a temática da eletricidade. Já a parte de Química foi considerada menos exigente conceitualmente e as questões cobraram poucos cálculos. "O aluno não precisava fazer contas. Isso facilitou um pouco", afirmou Carvalho.
 
Padrão. Já o diretor pedagógico da Oficina do Estudante, Célio Tasinafo, afirma que "foi uma prova previsível". Na avaliação de Pasinato, não houve mudança significativa no padrão do exame em relação ao ano passado: enunciados de Ciências Humanas mais curtos, pouca cartografia nas questões de Geografia e predomínio de temas relacionados aos parâmetros curriculares nacionais, como a diversidade e o avanço dos direitos das minorias.
 
Alvos de reclamações de muitos candidatos, as questões de Filosofia foram defendidas pelo diretor. "Não há motivos para queixas. Maquiavel e Aristóteles, por exemplo, que são autores típicos dessa disciplina, apareceram em textos muito clássicos. Não era necessário saber conceitos específicos para responder as perguntas", afirma.
 
Já a prova de Ciências da Natureza foi considerada mais difícil por Pasinato. "Mas também não foi nada absurda. Não exigiu cálculos extensos e explorou apenas temas básicos do Ensino Médio", disse. 
 
Fonte: Estadão


Postado em 27/10/2013


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé