Como lidar com as festas de fim de ano se você passou para a segunda fase do vestibular
Não sabe se deve passar o Natal e o Ano-Novo estudando ou se pode se entregar à festança?
Leia os conselhos de professores e o depoimento de alunos que já passaram por isso
 
Ana Prado 
 
Passar para a segunda fase do vestibular significa estar mais perto de concretizar um sonho, mas também implica no adiamento das férias e prolongamento da ansiedade por algumas semanas. E aí bate a dúvida: é melhor usar esse tempo antes das provas para estudar ou descansar? Como equilibrar as comemorações de fim de ano e os estudos? Conversamos com professores e com alunos que já passaram por isso e reunimos dicas para você.
 
“Meu ritmo de estudos era bastante puxado porque eu queria muito entrar em uma universidade pública, então resolvi não ir viajar. Mas esqueci completamente o vestibular nos dias 25 e 31 de dezembro e comemorei o Natal e o Ano-Novo reunido com a família em casa. É importante comemorar essas datas com os amigos ou com a família para dar um descanso para a mente e o corpo e dar aquela revigorada para o vestibular. O apoio da família é importante e o sacrifício é de todos, mas vale muito a pena!”.
Thiago Godinho de Lima, cursando Ciência da Computação na Unesp e aprovado também em Informática Biomédica na USP e Administração na PUC (com bolsa de 100% pelo Prouni) em 2013.
 
Não pare de estudar – mas conheça seus limites
“A garra e determinação que os estudantes tiveram até aqui deve ser mais forte – afinal, eles estão a um passo de ver realizado o sonho da universidade. Portanto, nada de parar de estudar!”, diz a professora Augusta Aparecida Barbosa, coordenadora do Cursinho do XI. Mas ela ressalta que o tempo a ser dedicado aos estudos depende das necessidades de cada um. “O candidato deve estudar o quanto julgar necessário para se sentir confiante, mas sem provocar o esgotamento. Exagerar, agora, pode ser prejudicial. O ideal é que o tempo seja dividido entre exercícios, leituras e alguma distração em atividades prazerosas”, completa.
 
Aproveite as festas com moderação 
É bom ser realista: você provavelmente não vai conseguir aproveitar as festas como nos outros anos. “Mas não dá para ficar enterrado nos livros o tempo todo porque isso não seria produtivo nem saudável”, diz o professor e diretor pedagógico do Cursinho Oficina do Estudante, Célio Tasinafo. “Aproveite os dias 24 e 25/12 e 31/12 e 1/1 para descansar e passar o tempo com a família, porque isso será importante para ajudar a diminuir o stress”, aconselha.
 
“As festividades não devem atrapalhar os estudos. Os alunos podem e devem festejar com as respectivas famílias, porém sem exageros, controlando as horas de estudo. Este é o momento das questões dissertativas de todas as disciplinas, portanto ele deve treinar para isso, além de reforçar os conhecimentos das matérias específicas”, completa a professora Augusta.
 
O que estudar? 
Para os professores, este é o momento de estudar os conteúdos em que você tem dificuldade – mas evite os complicados demais. “Não vale a pena, agora, usar o tempo para estudar conteúdos que você já domina nem os que considera difíceis demais, pois pouca coisa irá mudar nesse pouco tempo. Prefira aqueles com os quais tenha dificuldade, mas que não sejam intransponíveis”, aconselha o professor Célio.
 
Quanto tempo dedicar aos estudos? 
Para definir quanto tempo você deve dedicar aos estudos, leve em conta como se preparou durante o ano e quão bem se saiu na primeira fase. “Para os candidatos que passaram com uma pontuação próxima à nota de corte, o momento é de intensificar a preparação”, diz o professor de Geografia do cursinho do XI, Alexandre Eneias Gobbis.
 
Treine com provas dos anos anteriores
“Para a segunda fase da FUVEST, o aluno precisa ter um bom conhecimento de todo o conteúdo, pois as questões misturam temas diferentes em cada questão – e elas são bem mais interpretativas. O meu conselho é pegar as provas de segunda fase dos anos anteriores e resolvê-las”, diz o professor de física do cursinho do XI, Marcio Haga.
 
“Quando passei para a segunda fase eu estava estudando em casa, então mantive o ritmo de estudos. Como tive que fazer a segunda fase na Fuvest e na UFMG (uma prova atrás da outra, praticamente), foquei bastante nos estudos, estudando mesmo na semana do Natal e do Ano-Novo, mas não deixei de comemorar e nem de me divertir nessas festas. Não viajei na época para não perder o foco. Meu conselho é deixar para viajar depois que as provas acabarem.”.
Amanda Calefi Nogueira, aprovada em Química na USP em 2013.
 
Se seus estudos estão em dia, mas você não leu todas as obras cobradas pelo vestibular, aproveite esses dias até a prova para fazer isso. “Isso cai em peso, especialmente na segunda fase da Unicamp. Se você conseguir ler mais dois ou três livros inteiros, já terá pontos extras”, diz o professor Célio.
 
Leia muito
“A segunda fase é para quem sabe escrever. Leia muito, especialmente artigos da imprensa em geral, como jornais, revistas, internet etc. Quem lê, escreve. Outra dica é fazer um fichamento daquilo que estudar, com os conceitos principais de cada tema. Para quem já vem fazendo tudo isso há tempos, é hora de relaxar. Aproveite o período entre Natal e Ano-Novo para se divertir, SEM EXCESSOS, e depois volte a estudar em janeiro”, diz o professor Alexandre.
 
Outras dúvidas existenciais de férias
 
Se minha família for viajar, posso ir com eles?
Para o professor Célio, a resposta é sim – mas leve material de estudo para não ficar ansioso. “A menos que o estudante tenha pouca convivência com a família, ficar sozinho nesse período é péssimo. Ele não terá ninguém para lhe ajudar a lidar com a ansiedade e corre o risco de nem conseguir aproveitar o tempo para estudar”, afirma. Mas seja prudente: não deixe para voltar na véspera da prova. O ideal é estar de volta dois ou três dias antes para poder descansar. Além disso, tenha certas precauções. Se for à praia, tome cuidado com o período de exposição ao sol e com os alimentos que consumir, para evitar intoxicação alimentar.
 
Pode consumir bebida alcoólica?
Pode, mas sem excessos - e só se você estiver acostumado a beber socialmente. E evite fazer isso às vésperas da prova para evitar a ressaca e o mal estar prolongado.
 
Pequenos detalhes fazem a diferença
“Passar para a segunda fase do vestibular é um grande passo, mas não o suficiente. Agora, o aluno disputará com candidatos que possuem em média o mesmo desempenho acadêmico, portanto qualquer detalhe poderá fazer toda a diferença”, diz o professor de física do Cursinho do XI, Francisco Ribeiro Viana. Um desses detalhes é o bom conhecimento de todas as disciplinas. “Um aluno que tenha optado por um curso de Humanas pode se destacar em relação aos demais se também mostrar bom desempenho em exatas e vice-versa. Assim, esforce-se em estudar todas as matérias”, completa.
 
“Eu não viajei porque achei que perderia um tempo valioso, por isso preferi ficar em casa estudando. É difícil? É, mas vale a pena. Procurei estudar a semana inteira e aproveitar o Natal e as festividades de fim de ano com a família. Muitas vezes é chato não poder ficar muito tempo com quem se gosta, ou mesmo não poder viajar, mas é extremamente válido se dedicar nessas horas, pois a recompensa é muito gratificante. Muitas pessoas vão perder um pouco o foco nessa data, então aproveite para ultrapassar a concorrência!”.
Ygor Santos Melo, cursando Arquitetura e Urbanismo na UNESP e aprovado também em Artes Visuais na PUC-CAMPINAS, Arquitetura & Urbanismo na UFAL e Engenharia na UNIFESP e UFRJ em 2013.
 
"Só não estudei durante o Natal e o Ano Novo. Eu sabia que, apesar do sacrifício, era uma felicidade estar na segunda fase e eu ia fazer valer a pena."
Carolina Garcia Yassui, cursando Editoração na USP (4º lugar) e aprovada também em Estudos Literários na Unicamp e Cinema e Audiovisual na UFF em 2013. 
 
Fonte: Guia do Estudante 


Postado em 26/12/2013


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé