Seu filho diz que tem um segredo e não quer lhe contar. Como lidar com isso?
Assim como os adultos, as crianças também guardam os seus segredinhos. Veja até que ponto
deve-se respeitar a privacidade dos pequenos e quando é necessário interferir.
 
por Adriana Carvalho 
 
Todos nós temos os nossos segredos. Podem ser pensamentos, sentimentos ou ideias que desenvolvemos sozinhos e que não queremos compartilhar com ninguém. Podem ser também informações que alguém nos contou e nos pediu para não dividir com outras pessoas. Ou ainda assuntos que nos fazem sofrer e sobre os quais temos dificuldade, vergonha ou temor de dividir com alguém.
 
Assim como os adultos, as crianças também guardam os seus segredos. Quando os pais percebem que os filhos estão escondendo alguma coisa precisam fazer uma avaliação para saber se é o caso de respeitar a privacidade ou se o assunto velado pode requerer uma intervenção. Saber distinguir entre os segredos inofensivos e aqueles que escondem problemas ou dificuldades que a criança esteja vivenciando é fundamental.
 
Os segredos inofensivos são aqueles que não incomodam a criança, não alteram a sua rotina ou seu humor e nem colocam em risco a sua segurança. "É o caso dos pequenos segredos entre os amiguinhos de escola, como quando alguém conta para o outrém que vai fazer uma viagem ou mudar de casa, mas pede que seu filho não conte a ninguém", afirma a terapeuta familiar Maria Tereza Raduan. 
 
Quando, porém, os pais percebem que a criança guarda algum segredo que a incomoda é importante estabelecer um diálogo para ajudá-la a resolver o problema. "Os pais devem estar atentos aos sinais. Observar se a criança apresenta dificuldades para dormir, se tem pesadelos muito frequentes, se está mais agressiva, triste, se deixa de se alimentar ou se recusa a querer sair de casa ou ir para a escola. Nesses casos a criança pode estar escondendo algo que está lhe fazendo mal e que tem receio de falar com um adulto", diz Maria Tereza. Veja aqui algumas dicas para saber lidar com os segredos das crianças:
 
1. Saiba respeitar a privacidade do seu filho
Vocês são os pais da criança, mas isso não quer dizer que saberão de tudo sobre ela o tempo todo. Desde pequena, a criança vai guardar seus pequenos segredos. E não há nenhum mal nisso, desde que não se perceba que os assuntos escondidos estejam provocando problemas para a criança. Alguns assuntos ela vai querer compartilhar apenas com os amiguinhos. Outros, com o pai. Alguns, reservará para a mãe ou para os avós. Os familiares não devem demonstrar desaprovação ou ciúmes diante dessa atitude das crianças. "Todos têm segredos. O segredo faz parte da construção da identidade. A transparência é importante para construir relações de democráticas e recíprocas, mas a transparência em excesso pode ser nociva", afirma a psicóloga e analista familiar Célia Brandão.
 
2. Fique atento aos sinais e saiba quando interferir
Dificuldades para dormir, pesadelos muito frequentes, falta de apetite, aumento da agressividade, tristeza, medo de sair de casa ou recusa em ir à escola. Se o seu filho apresenta sintomas como esses e não quer lhe contar o motivo pode ser sinal de que ele esteja guardando segredo sobre um assunto que necessita da sua interferência. "Ele pode estar sendo alvo de bullying na escola ou até mesmo de assédio. Ou simplesmente pode estar vivendo um momento de dúvida, de angústia, que não consegue expressar", diz a terapeuta familiar Maria Tereza Raduan. Nesses casos será necessário interferir abrindo um diálogo de forma que o filho se sinta acolhido e permita se abrir. 
 
3. Estabeleça uma relação de confiança com seu filho
Ninguém se sente a vontade para contar seus segredos, revelar suas angústias ou falar de seus sonhos com quem não sente apoio ou abertura. Por isso é importante que os pais procurem, ao longo de toda a educação da criança, estabelecer uma relação de confiança e de diálogo. "Desde que haja uma relação de confiança, os pais podem obter dos filhos uma maior sinceridade. É importante falar sempre dos lados positivos e negativos das experiências vividas pela criança sem julgar antecipadamente" afirma a psicóloga e analista familiar Célia Brandão.
 
Quando você perceber que seu filho guarda um segredo que não está lhe fazendo bem, procure se aproximar e ganhar aos poucos sua confiança para que ele se sinta seguro para contar o que está acontecendo. "Vá abordando o assunto pelas beiradas, para que ele perceba que pode se abrir com você e para que não tenha medo de uma retaliação ou castigo", diz a terapeuta familiar Maria Tereza Raduan. 
 
4. Esteja preparado para ouvir o que seu filho tem a dizer
As crianças, em especial os adolescentes, podem guardar segredos sobre assuntos difíceis de lidar. "A adolescência é um período de iniciação e de ensaio de novas práticas para a construção de um indivíduo adulto. Algumas experiências são satisfatórias e outras, sofridas. A característica heroica do comportamento nessa fase faz com que o adolescente tenda a se fixar nas experiências de sucesso, prazer e satisfação e negar o lado sofrido, difícil e frustrante", diz a psicóloga e analista familiar Célia Brandão. É o caso do adolescente que abusa de álcool ou do uso de drogas e se atém apenas à experiência de prazer. 
 
"O diálogo com o adulto deve ajudá-lo a ver os dois lados da experiência. O adulto podem, inclusive, mostrar-se transparente e relatar suas próprias experiências, enfatizando ambos os aspectos, positivos e negativos. Dessa forma, o adolescente não se sentirá julgado e poderá contar os seus segredos, sem medo da censura", afirma ela. De acordo com a terapeuta, o papel do adulto é favorecer por meio do diálogo o despertar da consciência da criança ou do adolescente, o que é muito diferente de apenas impor proibições.
 
5. Ensine seu filho a guardar segredos
Saber manter segredos - aqueles que podem ser guardados - é uma forma de exercitar valores como confiança e honestidade. Se o amigo pediu que seu filho não conte a ninguém o seu segredo, você deve incentivá-lo a manter sua promessa. "É importante ensinar para as crianças e os adolescentes a guardar os segredos que lhe são confiados e a não fazer fofocas. Mostrar que se o amigo lhe confiou um segredo - dizendo que está gostado de Fulano, por exemplo - é porque tem confiança no seu filho e ele não deve romper esse vínculo", afirma a terapeuta familiar Maria Tereza Raduan.
 
6. Não peça que seu filho guarde segredos que o coloquem em uma posição difícil
É comum que os adultos peçam para as crianças guardarem segredos. Porém, alguns desses segredos podem colocá-la em uma posição difícil ou podem representar uma carga que está além do seu desenvolvimento emocional. "É o caso da mãe que pede para o filho não contar algo a seu pai ou vice-versa. Essa é uma situação muito comum, especialmente no caso de casais separados", diz a terapeuta familiar Maria Tereza Raduan. 
 
Nessas situações a criança encontra um dilema que pode lhe provocar muito angústia: se contar o segredo se sentirá traindo sua mãe e, se não contar, pensará que está desrespeitando o pai. "Só conte para o seu filho os segredos que ele pode guardar sem envolvê-lo em uma situação delicada", acrescenta a terapeuta.
 


Postado em 15/09/2014


Notre Dame
+ Notícias

atendimento
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3579 1212
Unidade I - Av. Pres. Wilson, 278/288 - Itararé
Unidade II - Rua Pero Corrêa, 526 - Itararé
Unidade III - Cel. Pinto Novaes, 34 - Itararé