notícias home/ notícias

20 Dez
2019

Compartilhar

Gravidez após adoção: como dar a notícia para a criança?

A atriz Giovana Ewbank, que é mãe de Titi e Bless — ambos adotados —, anunciou que está esperando o primeiro filho biológico. Nesse caso, o ciúme pode ser maior? Como contar? Veja o que dizem especialistas
 
SABRINA ONGARATTO
 
A família de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso vai crescer. A atriz anunciou, pelas redes sociais, que está grávida do primeiro filho biológico. "Ops...a família cresceu! Agora somos cinco! Fomos pegos de surpresa e a ficha ainda está caindo rsrsrs", brincou ela. A atriz revelou que está no terceiro mês de gestação e ainda não sabe o sexo do bebê. "O que podemos dizer agora é que estamos muito felizes e o momento é de muito amor e felicidade!", escreveu. Bruno compartilhou o post e completou: "Nossa família cresceu. Vou ser PAPAI de novoooooo!".
 
Giovanna e Bruno já são pais de Titi, 6, e Bless, 5, ambos adotados no Malawi, na África. Assim como eles, muitos casais acabam engravidando após a adoção. O assunto, inclusive, também está sendo tratado na nova novela das 21h, Amor de Mãe, na Rede Globo. Na trama, a advogada Vitória, personagem de Taís Araújo, é pega de surpresa ao descobrir que está grávida após adotar um menino, Tiago (Pedro Guilherme Rodrigues). Sem saber como dar a notícia para a criança, Vitória acaba desabafando sua preocupação com a babá, Lourdes (Regina Casé) e Tiago ouve. Com medo de ser abandonado pela mãe, ele resolve fugir de casa.
 
COMO CONTAR PARA AS CRIANÇAS
 
Segundo a psicóloga Adriana Severine, a principal dica é tratar da forma mais natural possível, assim como acontece com irmãos biológicos. "Às vezes, tentamos tomar cuidado e tratar de uma forma diferente, mas a criança é muito sensível e percebe que há algo diferente. Por isso, oriento a fazer o mesmo que fariam se fossem dois filhos biológicos, porque é  mesma coisa", diz. "O inclusivo é tratar os filhos de forma igual", completou.
 
Quando o filho adotivo for de raça diferente, como é o caso da atriz, a psicóloga diz que o melhor é deixar as crianças perguntarem, em vez de antecipar o assunto. "As crianças, em geral, não têm preconceito. O racismo e o preconceito aparecem a medida em que crescemos, de acordo com cada criação. Se, logo de cara, você já anuncia que a criança que está na barriga será diferente, pode criar uma ansiedade descenessária. Vai ter ciúmes, sim, mas como qualquer relação de irmãos. O importante é a relação que os pais estabelecem com aquele filho adotivo", afirma Adriana. Já segundo a psicóloga Ana Paula Marques, um bom exercício para evitar crises de ciúmes entre os irmãos é alternar momentos a sós com os filhos. "Por exemplo, passear somente com o mais velho, enquanto o mais novo fica com o pai", diz.